patrocinado por

Entenda o Proj. Vulcões Andinos



Diário de Motocicleta

Esta aventura, nos colocou para rodar a Cordilheira dos Andes em busca de alguns vulcões da América Latina.

Durante o planejamento, identificamos tantos vulcões, que seria inviável fazer um roteiro completo em apenas 50 dias (prazo geralmente usado nos projetos em parceria com o Salão Duas Rodas), então a solução foi dividir em duas etapas.

Partimos em Agosto de 2015 rumo a Colômbia, cruzando a Bolívia, Peru e Equador, voltando pelo Norte do Chile, atravessando o Chaco Argentino até voltar para casa.

Subimos alguns vulcões, passamos por vários perrengues e terminamos a aventura novamente no Anhembi, expondo a nossa moto no stand da GIVI do Brasil, e com apresentações de Palestras no Auditório Orquídea durante o 13º Salão Duas Rodas.

Sem sombra de dúvida, essa viagem foi a mais desafiadora e que nos proporcionou um maior contato com milhares de apaixonados por viagens de moto.

POUSADA BEIJA FLOR

Postado em: 22/10/2015 | Cidade: Corumbá/MS | Categoria: Onde Dormir
Diário de Motocicleta

Pesquisando sobre estadias em Corumbá/MS, me deparei com duas realidades que me deixaram espantado, primeiro o valor astronômico das diárias, e segundo a falta de vagas nos hotéis.

Deixando para última hora, acabei reservando dois dias na Pousada Beija æFlor por simpatizar com o nome (achei bonitinho) e por que as fotos que vi me agradaram... mas chegando lá...

Me disseram que a pousada estava lotada e que só havia vaga em um quarto família, mas na verdade estava deserta e esse era o quarto mais caro.
No dia seguinte quando indaguei sobre a reserva, ouvi na cara de pau que antes de chegar a pousada estava lotada e que todos tinham ido embora.

Francamente, se isso era verdade e o check-out termina ao meio dia, era possível me colocar em um quarto menor e mais confortável depois das 13h... e olha que eu cheguei às 20h.

Conversa pra boi dormir, tal qual a desculpa de impossibilidade de me alocar em outra unidade, já que todas estavam reservadas... quando fui embora no dia seguinte ninguém sequer tocou a campainha.


Tirando o check-out, o café da manhã é o que a Pousada Beija Flor tem de melhor a oferecer.

O sinal de wi-fi é sofrível, o estacionamento (fechado e descoberto) é forrado de pedra tipo brita, terrível para motos carregadas e a cama poderia vim sem colchão, já que dormi com as costelas no estrado de tão velho e vagabundo era o colchão.

Tive que reclamar para substituírem.

O banheiro antigo, possui um rodo dentro do box, pois o gênio que o construiu colocou o ralo no lado contrário a caída do piso... conclusão, vira uma piscina que você precisa esvaziar a todo banho.

O ar condicionado não dava conta do calor e a TV de 14” no alto da parede era completamente dispensável.

Enfim, fazia tempo que eu não ficava em um lugar tão ruim, principalmente no Brasil e pra completar, não aceitam cartões nem de crédito e nem de débito... só no cacau. Nos foi cobrado US$ 91,00 por duas diárias casal.

Quem quiser se arriscar, a Pousada Beija Flor fica na Rua Cabral, 1101, Corumbá/MS.

Parceiros neste projeto