Entenda o Proj. Rodando as Cidades da Copa



Diário de Motocicleta

Quem me conhece sabe que eu não sei quantos caras jogam no gol... só para ter uma ideia do grau de importância que o tema futebol tem na minha vida, mas ai você deve estar se perguntando, que raios de projeto é este então?

Bom, há tempos nós sonhávamos em viajar pelo Brasil, na verdade, o plano sempre foi conhecer primeiro o nosso país, para só então sair em viagem pelo mundo.

Quebrar a cabeça montando um roteiro que cruzasse as cinco regiões foi um desafio superado, quando anunciaram a Copa do Mundo no Brasil.
O evento caiu como uma luva, já que distribuiram os jogos pelos quatro cantos do país.

Agora eu tinha um roteiro, e bastou um pouco de logística para traçar os mapas de uma volta completa, em sentido anti horário, saindo de São Paulo, subindo para Brasília, depois Belo Horizonte, Rio de Janeiro, Salvador, Recife, Natal, Fortaleza, Manaus (seis dias navegando o Rio Amazonas e depois descendo a BR-319), Cuiabá, Porto Alegre e Curitiba.

Vimos muitas Arenas ainda em construção, muita obra que até hoje não foi entregue, e nos tornamos os únicos turistas a visitar os 12 Elefantes Brancos erguidos/reformados para a Copa do Mundo.
Política a parte, focamos no turismo que estas 12 cidades "sede da copa" oferecem aos turistas, com ou sem um evento deste porte.

Em parceria pela 2ª vez consecutiva com o Salão Duas Rodas, nossa trip pelo Brasil terminou com a nossa moto mais suja do que nunca, em exposição no Anhembi, onde mais uma vez tivemos o prazer de receber o abraço dos amigos e escutar incríveis relatos de viajantes de moto.

DE HUMAITÁ/AM ATÉ ARIQUEMES/RO

Cidade: Ariquemes/RO | Categoria: Como Chegar
Revisado em: 30/08/2017

Nosso roteiro partiu de Humaitá no Amazonas, depois de percorrermos a BR-319 - Rodovia Fantasma no meio da Floresta Amazônica.

Deste trecho, até Porto Velho/RO, a BR-319 ela segue vicinal, com um bom asfalto e baixíssimo movimento, só aumentando o número de caminhões próximo a capital.

A partir dai, à direita segue-se para o Acre, e à esquerda para o Sul do Brasil, e foi por onde seguimos, descendo a BR-364 que também continua vicinal, mas com um tráfego um pouco mais intenso.

Os nosso planos era fazer Humaitá/AM – Vilhena/RO, mas como tivemos um contratempo em Porto Velho, acabamos rodando apenas 410 km até Ariquemes/RO, onde passamos a noite.

A oferta de combustível é normal durante todo o trajeto e não deve causar preocupação. O asfalto na grande maioria do caminho é muito bom, e a grande atenção deve ser dada ao caminhões e trechos urbanos.

Parceiros neste projeto