patrocinado por

Entenda o Proj. Antes do Fim do Mundo... e um pouquinho além.



Diário de Motocicleta

Você ceramente se lembra que o mundo ia acabar em 2012 por conta do Fim do Calendário Maia, certo? Então, qual era a melhor época para ir até o Fim do Mundo?

Com essa sacada, eu e a Elda partimos rumo ao Ushuaia em meados de Dezembro de 2012, carregados de ansiedade em cruzar a Patgônia e ver o Pôr do Sol no dia 22 de Dezembro - Dia do Fim do Mundo, en directo del Fin del Mundo.

Acontece que na altura de Floripa a Elda adoeceu, o que nos fez voltar para casa para deixa-la
No dia seguinte voltei para estrada afim de cumprir os contratos feitos com nossos parcerios.

Foi a primeria vez que viajei sozinho, e a loucura veio com a ausência da Elda, que durante oito meses planejou cada passo daquela aventura e agora, não estava mais comigo.

Os Ventos Patagônicos e o Rípio foram vencidos, vi pinguins, neve, viajei com a luz do Sol até as 23h, e não vi o Pôr do Sol no dia 22, por que estava chovendo, mas eu estava lá... no fim da RUTA 3 - eu desci por ela, e subi a RUTA 40, curtindo cerca de 850 km de rípio.

Apesar da companhia de muitos amigos, chorei sozinho por passar as festas de Fim de Ano longe da minha filha, por não estar com a Elda no dia do seu aniversário, e por vezes, atônito diante das tantas coisas que descobrimos sobre nós mesmo, quando estamos no mundo sem ninguém.

PASSEIOS PELA HISTÓRIA DE SAN JULIÁN

Dia: 17/12/2012 | Cidade: Puerto San Julián/AR | Categoria: Passeios
Diário de Motocicleta

Antes de partir para Río Gallegos, aproveitei a manhã de Sol e fui conferir a "Nau Victoria" que é uma réplica em escala real do barco comandado por Fernão de Magalhães e que ancorou no mesmo lugar em 31 de março de 1520.

O Museu embarcação conta com cenários recriados, onde é possível caminhar pelo convés e porão do navio, acompanhado por um guia que vai contando as dificuldades enfrentadas pela tripulação, bem como os setores e equipamentos ricamente detalhados.

No porão há a transmissão de um áudio de aproximadamente 10 minutos que conta um pouco da história de Fernão de Magalhães que teve que lidar com motins de tripulação, condenando muitos a morte.
A transmissão termina com a realização da primeira missa em solo Argentino, outro ponto que pode ser visitado em seguida, na ponta da bahia de Puerto San Julián.

O Museu fica aberto das 8h às 20h de segunda a domingo e o ingresso custa $ 60,00 pesos.

Na orla da baía ainda é possível conferir um monumento à Guerra das Malvinas... um caça usado nas batalhas está exposto na praça Heróis de Malvinas.

Tudo muito interessante. Eu recomendo!

fotos relacionadas
Parceiros neste projeto