Entenda o Proj. Antes do Fim do Mundo... e um pouquinho além.



Diário de Motocicleta

Você ceramente se lembra que o mundo ia acabar em 2012 por conta do Fim do Calendário Maia, certo? Então, qual era a melhor época para ir até o Fim do Mundo?

Com essa sacada, eu e a Elda partimos rumo ao Ushuaia em meados de Dezembro de 2012, carregados de ansiedade em cruzar a Patgônia e ver o Pôr do Sol no dia 22 de Dezembro - Dia do Fim do Mundo, en directo del Fin del Mundo.

Acontece que na altura de Floripa a Elda adoeceu, o que nos fez voltar para casa para deixa-la
No dia seguinte voltei para estrada afim de cumprir os contratos feitos com nossos parcerios.

Foi a primeria vez que viajei sozinho, e a loucura veio com a ausência da Elda, que durante oito meses planejou cada passo daquela aventura e agora, não estava mais comigo.

Os Ventos Patagônicos e o Rípio foram vencidos, vi pinguins, neve, viajei com a luz do Sol até as 23h, e não vi o Pôr do Sol no dia 22, por que estava chovendo, mas eu estava lá... no fim da RUTA 3 - eu desci por ela, e subi a RUTA 40, curtindo cerca de 850 km de rípio.

Apesar da companhia de muitos amigos, chorei sozinho por passar as festas de Fim de Ano longe da minha filha, por não estar com a Elda no dia do seu aniversário, e por vezes, atônito diante das tantas coisas que descobrimos sobre nós mesmo, quando estamos no mundo sem ninguém.

DE RÍO GALLEGOS/AR ATÉ USHUAIA/AR

Cidade: Ushuaia/AR | Categoria: Como Chegar
Postado em: 26/5/2013

Exibir mapa ampliado

Exibir mapa ampliado

Ao longo de toda Ruta 3 inevitavelmente você passa o tempo lutando contra o vento e pensando no trecho de rípío entre Río Gallegos e Ushuaia.
As informações que eu tinha iam desde o “por que você vai fazer isso rapaz” até “é suave e fácil de passar”.

Como de fato, as opiniões são tão variáveis como o clima na Patagônia, o que pode facilitar ou tornar sua viagem um inferno, mesmo sobre o asfalto mais liso do mundo.

Como já havia percorrido o rípio em Puerto Madryn e Punta Tombo, totalizando aproximadamente uns 70 km de experiência, eu estava confiante, mas muito ansioso e precisando vencer a Aduana no Chile primeiro.

Cerca de uns 65 km de Río Gallegos ao sul, encontra-se a Aduana Chilena e Argentina, onde é preciso dar a saída de pessoa física (migración) da Argentina e dar entrada no Chile que exige além da permissão para pessoa, a autorização para o veículo.
Esse trâmite me consumiu cerca de umas 2h30 e quando segui caminho o clima não estava muito bom, com chuva fina e muito frio.

Dali uns 50 km você chegará ao Estreito de Magalhães que lhe custará cerca de R$28,00 a travessia (US$12,00). A viagem não leva mais que 25 minutos com o tempo bom e ao desembarcar, é possível rodar mais uns 30 km de asfalto muito bom.

Mais eis que surge o rípio, 125 km que não te dá outra alternativa senão vencê-lo.

Ao contrário do que eu esperava, encontrei um solo compactado em que alguns trechos permitia avançar a uns 100km/h, no entanto, é preciso muita atenção, pois do nada as pedras começam a aumentar, tornando o rípio fofo e jogando a moto para todos os lados, de frente, de trás, de banda.

Há que se preocupar com a autonomia, nesta viagem, o último posto fica em Río Gallegos, então sugiro que leve gasolina caso não tenha autonomia de mais de 250 km. O posto seguinte somente quando acabar o rípio, já de volta à Argentina.
Mas antes disso haverá uma Aduana do Chile em que você precisará dar baixa da sua permissão pessoal e da moto... uma perda de tempo se pensarmos que tais permissões nos foram dados a cerca de 2h.

Enfim... 10 km depois desta Aduana Chilena, de volta ao solo argentino, você chegará a Aduana da Argentina e depois de pegar novo “permiso”, poderá abastecer e seguir pelo asfalto até o Ushuaia. Deste ponto serão ainda mais uns 300 km.

Neste trecho os ventos serão mais tranqüilos, mas isso não significa que você não leve umas varridas de vez em quando, então não relaxe e fique atento.

Haverá posto de combustível em Río Grande e Tolhuin.

Recomendo que saia cedo de Río Gallegos, por conta da demora em aduanas e do trecho do rípio que encontra-se em bom estado e não deve causar preocupação, exceto se você estiver viajando embaixo de chuva... ai o rípio vira lama.

fotos relacionadas
Parceiros neste projeto