Entenda o Proj. Caminho do Peabiru



Diário de Motocicleta

Eu ainda estava publicando dicas sobre o roteiro para Salvador feito no ano anterior, até que o meu telefone tocou.
Do outro lado da linha uma voz feminina queria falar com o resposnável pelo Diário de Motocicleta, e saber se eu já havia uma próxima aventura em vista.

Achei legal alguém me ligar para peguntar isso! E quando respondi que tinha alguns roteiros na cabeça, ela começou a se paresentar, dizendo que havia acompanhado o nosso Proj. Êxodo de Moto, e que falava por parte do Salão Duas Rodas - a ideia de divulgar o 11º Salão Duas Rodas de 2011 começava ali.

Bastou uma reunião para eles aprovarem o roteiro que era quase uma lenda urbana de tão incrível.
Há tempos eu pesquivasa um caminho que teria sido contruído pelos INCAS, ligando o Litoral do Peru ao Litoral do Brasil, mais precisamente em São Vicente/SP.

O Caminho do Peabiru, que foi construído por INCAS e Índios Guaranis, serviu em meados de 1.500, como vias de acessos para Portuguese, Espanhóis, Bandeirantes e Paulista continetne a dentro, e este trânsito transformou o caminho "de Índio" em muitas ruas, avenidas e estradas que podemos hoje rodar.

Cruzamos o Paraná, Paraguai, Bolívia, Peru, Chile e Argentina, passamos pelo Lago Titicaca, motocamos a Cordilheira, conhecemos Machupicchu e vimos o Ocêano Pacífico.

Esta aventura terminou com a exposição da nossa moto no Salão Duas Rodas daquele ano, o que atraiu ao nosso stand, muitos apaixonados por viagens de moto que acompanharam nossa trip e, com alegria, passaram para nos dar um abraço.

COMIDA CASEIRA É OUTRA COISA

Cidade: Tibagi/PR | Categoria: Onde Comer
Postado em: 25/9/2011
Diário de Motocicleta

Já que a nossa motocada foi relativamente curta (cerca de 200km) aproveitamos assim que nos hospedamos para almoçar e depois seguir para o Cânion Guartelá.
Na rua da Pousada em que ficamos, tem o Restaurante Casarão com opções de Self-Service por quilo ou à vontade.
Optamos, eu e a Elda em comer por quilo.

Uma comida caseira, muito bem preparada que repôs a energia do grupo que há uns três dias não sabia o que era almoçar (rs).
O ambiente do restaurante é muito bom, amplo, mas com baixo movimento, ao menos na hora e dia em que fomos. De toda forma é uma boa pedida para almoçar.

Nossa conta (casal), com cerveja e refrigerante deu R$20,00.

O Restaurante Casarão fica na Rua Ana Beje, 610 – Centro – Tel. (42) 3275-3134


A noite, depois dos passeios e uma ducha gelaaaaaada, fomos até a Praça Central, coisa de duas quadras da nossa Pousada, beliscar algumas coisas no Restaurante e Lanchonete Gula.

O lugarzinho é super aconchegante, o atendimento é muito bom e a comida bem preparada.

Pedimos vinho, cerveja, refrigerante e duas porções de Frango grelhados com cebola... deliciosos. Pedimos também uma porção de fritas e a minha parte deu pouco mais de R$20,00.

O Restaurante Gula fica na Praça Edmundo Mercê, 130 – Centro – Tel. (42) 9977-9599