Entenda o Proj. Multi Aventura rumo ao WDW14



Diário de Motocicleta

Depois de um Test Rider com uma DUCATI Multistrada 1200, guiando um grupo de motociclistas até a Serra do Rio do Rastro (SC), o material gerado (artigo, fotos e filme e uma matéria na Revista Moto Adventure), possibilitou a oportunidade de apresentar algumas ideias para a DUCATI do Brasil.

Satisfeitos com as propostas, levaram o meu material para Itália, de onde o feedback veio em forma de convite ao World DUCATI Week 2014 - o maior evento da marca no mundo, só que eu deveria ir de moto.

Mesclamos alguns roteiros que me levasse até a Itália, e para pegar impulso, desci rumo a Buenos Aires/ARG.
Na volta passei por Montevidéu e Punta del este no Uruguai, e de volta ao Brasil, subi a costa até Recife, apresentando nas Concessionárias DUCATI a palestra Elaboração de Viagens de Longa Distância, e convidando os amigos a me acompanharem nesta trip pela Europa.

A moto ficou em Recife, e desembarcando em Lisboa/POR, peguei outra Multistrada 1200, acoplei meus baús GIVI e cruzei Portugal, Espanha e França até chegar em Misano na Itália, a tempo de participar do World DUCATI Week 2014, do qual sou detentor do record por ter rodado 14.500 km para estar ali.

Está aventura fui sem a Elda, então já tenho data para voltar.

CITY TOUR EM MONTEVIDÉU

Cidade: Montevidéu/UR | Categoria: Passeios
Postado em: 14/6/2014
Diário de Motocicleta

O dia amanheceu ensolarado e gelado em Montevidéu, ideal para ficar na cama até mais tarde, mas a secura do ar no quarto, causado pela calefação, secou a minha garganta de tal maneira, que respirar se tornava um ato doloroso.

Nestes casos é aconselhável deixar a janela um pouco aberta e caprichar no edredom, agora, se frio é muito forte, ou o clima é realmente seco – tal qual nos Andes – a solução é molhar uma toalha de rosto e colocar na cabeceira da cama ou no criado mudo.

Não pensei que passaria por essa situação aqui no Uruguai, mas já separei uma toalha de rosto que será molhada para próxima noite fria.

Depois de responder alguns e-mails, tomar um bom café da manhã e uma dose caprichada de coragem, parti para explorar Montevidéu sabendo do árduo trabalho, já que a cidade merece muito mais que um simples dia de passeios... as atividades aqui são muitas... a história bem preservada e as atrações quase infinitas.

Como de costume, vou falar de apenas alguns pontos turísticos e os demais, publicarei quando estiver novamente em casa... mas não deu para fazer muuuita coisa, pois o Uruguai tomou de 3x1 da Costa do Marfim, e como todo país que participa de uma Copa do Mundo, tudo pára e fecha... e aqui não fugiu à regra.

Depois de uma volta pelas Ramblas... avenidas que margeiam a costa do Rio da Prata, fui curtir mais a Ciudad Vieja – Cidade Velha – onde começou Montevidéu.

São inúmeras atrações, museus e prédios históricos como o Cabildo que passa por reforma com andaimes cobrindo sua belíssima fachada e obras no interior que reduziram o Museu e Arquivo Histórico, em duas salas pequenas.
O Cabildo, prédio comum nos países de colonização espanhola, foi construído no ínício do século 19 e levou 60 anos para ser concluído. Serviu por muito tempo como prisão e foi palco de importantes decisões políticas, como o Juramento à Constituição em 18 de Julho de 1830.

Por quase 100 anos abrigou o Governo da Cidade e desde 1958 tornou-se museu.
Uma pena estar em reforma – turisticamente falando – pois as fotos ficariam fantásticas e a mostra seria bem mais interessante.

Visitas de terça, sexta e domingo das 12h às 17h – sábados das 11h30 às 16h30 – sem cobrança de ingresso. Endereço: Calle Juan Carlos Gomez, 1362.



Do outro lado da Praça da Constituição, também conhecida como Praça da Matriz, fica a imponente Catedral Metropolitana com sua linha neoclássica.
Não conheço até hoje, uma catedral que nasceu catedral, e esta aqui segue a regra, tendo sua origem em uma singela capela de 1720, época em que se construía o porto de Montevidéu.

A primeira igreja foi erguida em paredes de barro, com mão de obra indígena, e passados apenas 10 anos, passou por uma reforma onde foram levantadas paredes de tijolos.

Essa obra durou 10 anos e por volta de 1788 sua estrutura ruiu parcialmente. Foi então que decidiram construir uma nova matriz, com traçado amplo e ambicioso para época -  esta é a estrutura que vemos hoje.

Seu interior impressiona pelas esculturas em mármore e detalhes de acabamento, sem contar a altura do seu pé direito.
Vale muito a pena o passeio.

Visitas de segunda a sexta das 15h às 18h – sem cobrança de ingresso – pode fotografar sem flash e filmar – Missas aos sábados às 17h e domingos às 11h e 17h. Endereço: Calle Ituzaingó com Sarabdi – na Plaza Constituición

Amanhã sigo para “mi Buenos Aires querida”.

fotos relacionadas
Parceiros neste projeto