patrocinado por

Entenda o Proj. Multi Aventura rumo ao WDW14



Diário de Motocicleta

Depois de um Test Rider com uma DUCATI Multistrada 1200, guiando um grupo de motociclistas até a Serra do Rio do Rastro (SC), o material gerado (artigo, fotos e filme e uma matéria na Revista Moto Adventure), possibilitou a oportunidade de apresentar algumas ideias para a DUCATI do Brasil.

Satisfeitos com as propostas, levaram o meu material para Itália, de onde o feedback veio em forma de convite ao World DUCATI Week 2014 - o maior evento da marca no mundo, só que eu deveria ir de moto.

Mesclamos alguns roteiros que me levasse até a Itália, e para pegar impulso, desci rumo a Buenos Aires/ARG.
Na volta passei por Montevidéu e Punta del este no Uruguai, e de volta ao Brasil, subi a costa até Recife, apresentando nas Concessionárias DUCATI a palestra Elaboração de Viagens de Longa Distância, e convidando os amigos a me acompanharem nesta trip pela Europa.

A moto ficou em Recife, e desembarcando em Lisboa/POR, peguei outra Multistrada 1200, acoplei meus baús GIVI e cruzei Portugal, Espanha e França até chegar em Misano na Itália, a tempo de participar do World DUCATI Week 2014, do qual sou detentor do record por ter rodado 14.500 km para estar ali.

Está aventura fui sem a Elda, então já tenho data para voltar.

A SAUDADE, O CAMINHO E A PALESTRA

20º dia de viagem
Cidade: Goiânia/GO | Categoria: Diário do Piloto
Postado em: 1/7/2014
Diário de Motocicleta

A cada segundo eu procuro viver a vida de uma forma intensa e lúcida, não tenho tempo de sentir saudades, exceto da minha filha, esse pedacinho de mim que um dia, por motivos de força maior, me vi obrigado a viver longe dela.

A cada despedida nestes longos sete anos e meio, o dor da saudade bate forte, enche os olhos e os primeiros km de estrada são tão silenciosos, que nem mesmo o vento eu consigo ouvir.

Acho que uma das piores qualidades do ser humano a acostumar-se com a dor e com a falta... somos estranhos demais.

E eu não sou diferente!

Como de costume, todo lugar que deixo nunca olho pelo retrovisor, e desta forma coloquei a motoca na estrada ainda cedo para uma corrida de 600 km rumo à Goiânia/GO.



Até a primeira divisa de Estados – SP/MG, e a cidade de Iturama, nenhuma novidade. Estrada velha conhecida de outras viagens.


O único espanto foi para o nível da represa da Usina da Água Vermelha com cascalho e tronco de árvores apodrecidas aparecendo junto com o fundo de pedra do rio... o fim dos tempos se aproxima.


Um ponto bom de destaque foi o asfalto novinho da BR-497 entre Iturama/MG e Prata/MG... em 2013 realizando uma prova de resistência onde o organizador dificilmente passou algum dia por estas estradas, sofri um acidente por conta dos buracos que ninguém me disse que haveriam ao longo desta rodovia, e por muito pouco não passei desta para melhor.
Percorri esta estrada na ocasião à noite e debaixo de chuva, agora, com Sol pude ver o quanto ela é linda, e com o asfalto liso, fica melhor ainda.

Quando cheguei à BR-364 precisei alterar os planos, pois o Tio Google Maps me indicou uma estrada de terra... 40 km para cortar caminho.
Não sou do tipo que afina para desafios e perrengues, mas não estava a fim de chegar ainda mais tarde em Goiânia, então segui para Campina Verde, Prata e deste ponto acessei a BR-153 que me levou direto ao meu destino.

Encontrar o hotel no meio de tantas ruas que ao invés de nomes, possuem números, foi mais difícil que achar a DUCATI Goiânia na Avenida 85, 140, mesmo este número ficando ao lado da numeração 3.000 e pouco. Coisas de Goiás.


A loja da DUCATI é show, espaçosa e estava prontinha para nosso bate papo que atraiu até amigos de Brasília que não perderam a oportunidade de ouvir nossas histórias e dicas.


Essa experiência e contato têm sido muito gratificantes, e pilotando um Multistrada 1200 S não poderia ser melhor.
Próxima parada, Belo Horizonte/MG.

Parceiros neste projeto