patrocinado por

GENTE CONTANDO HISTÓRIAS A CAMINHO DE SAN PEDRO

Dia: 19/9/2015 | Cidade: San Pedro de Atacama/CH | Categoria: Passeios
Diário de Motocicleta

Hoje acordamos com um ritmo mais desacelerado... tranquilo e sem pressa, isso por que nosso destino ficava bem ao lado.
San Pedro de Atacama está a 100 km de Calama, então não tínhamos com o que se preocupar... saindo atrasado ainda assim chegaríamos antes do horário.

Montamos todo o acampamento e deixamos nossa pousada depois do meio dia.
Seguimos para um posto de gasolina para abastecer, calibrar os pneus e conferir o óleo.

Fiquei surpreso em constatar que o nível do óleo da DUCATI Multistrada não baixou um milímetro sequer, e limpando o visor do óleo, pude ver um óleo MOBIL amarelinho, como se fosse trocado agora.

Nesse meio tempo, duas “Nestor Cerveró” (BMW) chegaram no posto com casais de Mineiros (eita povo bão).

Logo começamos a conversar e quando vimos, uma hora já havia passado e como todos seguiríamos para San Pedro, saímos sem pressa rumo ao nosso destino.

Antes de chegarmos, paramos no mirante que existe na Ruta 23 diante do Valle de La Luna para fotos, e combinamos o horário do jantar, seguindo cada um para sua pousada.

Ao chegarmos, logo na entrada um Austríaco chamado Darlen veio com os olhos vidrados sobre a DUCATI, pois há muito não via uma moto dessas.
Começamos a conversar e ele, ex-fotografo da National Geographic, residente em Salta e trabalhando com astronomia, nos falou das estrelas, do Universo e das descobertas que estão publicadas em livros e revistas, mas que as pessoas não tomam conhecimento por que todas estão voltadas para o celular.

Nos contou que os Chineses monitoram uma base extra terrestre na Lua que tem a forma de um domo de 20 km de altura e 200 km de diâmetro, e que em Marte – tema do livro de um amigo Norte Americano – a NASA tem conhecimento de uma cidade abaixo da camada de gelo em um dos oceanos congelados, e que a civilização que ali habita, é remanescente de uma raça que sobreviveu a uma guerra nuclear que aconteceu há 200 mil anos e que devastou o planeta.

Foram vários sites e livros que nos indicou, e por sorte estava com a câmera do capacete ligada e em breve vou poder fuçar em todos esses endereços.

Nos despedimos com o convite para ir ao centro de observação astronômica que ele mantém, mas já tínhamos marcado o jantar com nossos novos amigos brasucas.
Agradecemos o convite e ficamos de nos encontrar em outro dia.



Mais tarde, Rangel e Isabel, Dirceu e Kelia nos esperavam às 20h na frente da Igrejinha conforme combinado, enquanto eu e a Elda – que havíamos chegado mais cedo – vendo a porta da Igreja aberta, entramos para ver o resultado da restauração.
O altar, antes branco, foi “descascado” revelando uma pintura de anjos de 1.800 e bolinha, nos contou a Freira Esperanza, que morou em Pernambuco por seis anos, e que acabou trazendo a Freira Luciana, secretária da Igreja e legitimamente Pernambucana.

Ao longo na nossa viagem, conhecemos muitas pessoas incríveis, mas o dia de hoje foi excepcional... coisas que só acontecem em viagens, o prazer de conhecer histórias e pessoas tão diferentes.

Nosso jantar foi muito divertido e agora nos resta descansar... amanhã conhecermos mais pessoas e suas histórias, e isso tudo subindo o Vulcão Lascar.

fotos relacionadas
Parceiros neste projeto