patrocinado por

VENTOS PATAGÔNICOS... SÓ QUE NÃO!

37º dia de viagem
Cidade: Lima/PE | Categoria: Diário do Piloto
Postado em: 7/9/2015
Diário de Motocicleta

Ao abrir a cortina do quarto às 7h da manhã, um céu azul cintilava convidando a gente para um dia delicioso na estrada.
Desta vez, o trecho seria de 560 km rumo à Lima, capital do Peru, a qual já havíamos passado subindo ao norte.

Pela quarta vez estamos repetindo uma cidade no mesmo projeto, mas desta vez ao invés de apenas dormir e seguir viagem, temos outros planos para Lima.

Saímos por volta das 10h depois de tomar o café da manhã e conversar com a Julia, a francesa dona do hotel que ficamos esta noite.

Sair de Trujillo foi fácil, domingão o pessoal geralmente dorme até mais tarde em qualquer lugar do mundo, e isso abriu as ruas e a avenida para a gente passar.

Mesmo com o caminho repetido, fazê-lo ao contrário tem se mostrado um prazer enorme, por que a paisagem é completamente outra e parece que a atenção fica redobrada.


Até Casma a pista foi vicinal, mas depois começaram as Auto Pistas, duplicadas, com curvas abertas e zero de movimento.
A temperatura na casa dos 26˚C só não tornou a viagem mais gostosa por conta dos fortes ventos que nos sacudiram a viagem toda.

Dando uma olhada nas filmagens feitas, me lembrei da viagem ao Ushuaia, quando ventos patagônicos me fizeram andar de lado por muito tempo.

Hoje não foi diferente, apesar de mais brandos, os ventos exigiram muito de nós, e aumentou significativamente o consumo de combustível.
Com a gasolina vendida nos países “hermanos”, a DUCATI Multistrada 1200 tem feito uma média de 400 km com um tanque de 20 L... muito mais econômica que com a “gasosa brasuca” onde com sorte se chega aos 325 km.

No entanto, com os ventos fortes de hoje, que horas batiam de lado e por vezes de frente, a Multistrada fez 11km/L.

Mas o cenário compensou cada gota de “nafta” e não medi esforços para deitar a motoca em curvas alucinantes, entre dunas de areia, paredes de rochas e de brinde o mar correndo do lado direito da pista quase todo o caminho.

Foram 7h de estrada, com uma parada para lanche e dois abastecimentos.

Ao chegarmos na região periférica de Lima, cruzamos com uma moto da Malasya e um casal todo sorridente nos filmando e dando tchau.
Com o trânsito caótico, eles ficaram para trás e eu acabei cortando caminho por Ventanilla, perdendo-os de vista no retrovisor.
Queria ter parado para conversar, mas definitivamente a Panamericana Norte antes de Lima não é o lugar ideal.

Ao chegar no hotel e descarregar toda a bagagem, desci para buscar nosso jantar e me deparei com o pneu furado.

Andei cerca de 1 km até o posto mais perto, efetuei o reparo e verei amanhã de manhã se funcionou... mas acredito que sim. O Metzeler RoadTEC Z8 está com 12 mil km rodados e ainda tem borracha pra queimar.

fotos relacionadas
Parceiros neste projeto