patrocinado por

A METADE DO MUNDO... SÓ QUE NÃO

Cidade: Quito/EQ | Categoria: Passeios
Postado em: 23/8/2015
Diário de Motocicleta

A mais divulgada das atrações turísticas de Quito é, ao mesmo tempo, a que mais pode decepcionar o visitante. Localizado no lugar onde, supostamente, passaria a Linha do Equador, esse complexo oferece atrações que nem sempre valem a viagem e o preço pago para entrar – US$ 3,50.

O local, conhecido como Ciudad Mitad del Mundo, é uma réplica de uma antiga cidade colonial equatoriana que reúne atrações como um Museu Etnográfico com nove andares e um mirante, um Planetário com apresentações diárias de 35 minutos, três pavilhões com objetos arqueológicos e científicos e diversas lojas de artesanato.

O Monumento Ecuatorial é um dos destaques do parque, sendo o mais conhecido e visitado. Essa construção em forma de pirâmide quadrangular tem seus lados voltados para os quatro pontos cardeais e foi construído sobre o local que, até recentemente, acreditava-se ser a latitude 0° 0' 0’ do planeta. No entanto, já se concluiu que a linha imaginária que divide os hemisférios norte e sul está a 240 metros mais adiante, no Museu Intiñan.

Esta linha já tinha sido determinada pelos Incas, sem necessidade de utilizar nenhum tipo instrumental de medida, e centenas de anos depois foi confirmada pelos franceses. A torre tem um museu no qual um guia nos explica melhor o manejo impressionante do firmamento que os Incas tinham (estes sim autênticos astrônomos).

Os geógrafos franceses que participaram da expedição que determinou o local da linha ganharam estátuas na Ciudad Mitad del Mundo, elas foram instaladas ao longo do caminho até chegar ao monumento principal.

Mesmo não sendo o local exato de latitude 0º 0 0, turistas de todo o mundo não deixam de se divertir ao tirar as fotos clássicas com um pé sobre cada um dos hemisférios.

O valor do ingresso não dá direito a todas às atrações do complexo, de modo que o visitante acaba gastando mais do que o esperado para conhecer as atrações mais interessantes.

Estávamos acompanhados dos amigos Leandro e Mirty, e nos contentamos em apenas tirar fotos no monumento e logo seguimos para o El Panecillo, outro marco divisor que separa o norte e o sul da cidade de Quito.

A colina do Panecillo é um dos principais mirantes da cidade e do alto de seus 3.035 metros, é possível observar toda a capital.

O nome Panecillo foi dado pelos espanhóis no início do século XVI. Antes, a colina já havia recebido outras duas denominações: Yavirac (que significa fonte de água) na era pré-Inca, e Shungoloma, como era chamada pelos incas.

Lá está localizada também a escultura da Vírgen Alada de Quito, feita pelo artista espanhol Agustín de la Herrán Matorras. Com 45 metros de altura e composto por mais de 7 mil peças de alumínio, o monumento começou a ser construído em 4 de novembro de 1955 e foi inaugurado em 28 de março de 1975.

É a réplica da escultura da virgem criada por Bernardo de Legarda, que está na Igreja de San Francisco. Os turistas podem entrar e subir até a base da imagem que é venerada pelos católicos locais por US$1,00.

fotos relacionadas
vídeos do roteiro
Parceiros neste projeto
roteiros relacionados