patrocinado por

BOAS VINDAS MAIS QUE ESPECIAL EM PORTUGAL

Dia: 12/7/2014 | Cidade: Lisboa/PT | Categoria: Passeios
Diário de Motocicleta

Já disse cerca de mil vezes que uma das melhores coisas do motociclismo é a oportunidade de conhecer pessoas maravilhosas, e já tinha experimentado essa experiência nas minhas andanças por alguns países da América Latina, inclusive pelo Brasil e confesso que aqui, do outro lado do Oceano Atlântico não foi diferente.

O Luis Salvador, Presidente do Clube DUCATI Portugal já mantinha contato comigo há algum tempo, e bem no comecinho desta viagem já se prontificava a me receber em Lisboa, e dito e feito, veio me buscar na porta do hotel para um jantar de boas vindas no Portugália, um restaurante muito legal às margens do Rio Tejo.

Ao poucos foram chegando várias motos DUCATI e fui apresentado a novos amigos.

Foi um jantar incrível que acabou com um chopp (Imperial como se diz por aqui) em um quiosque na Av. Liberdade, onde tive o prazer de compartilhar um pouco mais as aventuras que já fiz ao longo destes oito anos de motociclismo e seis anos e meio do site Diário de Motocicleta.

Muitos têm a vontade de conhecer o Brasil e rodar a Patagônia, então acredito que minhas dicas instigaram ainda mais a realização destes sonhos.

Para completar o carinho que vinha recebendo de todos, fui presenteado com chaveiro, camiseta e uma pescoceia para proteger do frio – o que não faz aqui na Europa no momento, mas que será usado em breve nas próximas viagens previstas para o Atacama. O período de inverno no Hemisfério Sul é meu preferido para viagens... a gente treme um pouco e bate os dentes, mas o céu é azul e sem chuvas, ideal para fotos e filmagens.

Como se não bastasse, o Ricardo, vice-presidente do Clube DUCATI Portugal se prontificou a me buscar no hotel no dia seguinte para fazermos um city tour por Lisboa e região. E como prometido, lá estava ele de manhã me aguardando para um dia incrível.


Acordei atrasado, pois com o fuso horário do Brasil (+4 horas de diferença), no dia anterior fiquei quase que 24h acordado, e para ajudar, meu fiel despertador (celular) descarregou de madrugada e levantei no susto.

Mas ainda deu tempo de seguir para o Motoni, distribuir GIVI em Portugal, para instalar as ferragens dos meus baús e de lá começamos a rodar estradas, vilas e montes.

Nossa primeira passagem foi por Sintra, onde subimos até o Castelo dos Mouros. Não entramos, pois é um passeio para se fazer o dia todo e havia outros lugares que eu gostaria de visitar.

Depois seguimos para o Cabo da Roca, o ponto mais ocidental da Europa e, como já dizia Camões, é o lugar em que a terra acaba e começa o mar.

Por um tempo fiquei mais perto do Brasil, mas o momento não cabia saudosismo diante de tantas coisas incríveis a se conhecer pela frente, então partimos pela costa de Cascais em direção à cidade de Almada para cruzar a Ponte 25 de Abril, semelhante à Ponte Golden Gate, belíssima, para conhecermos o Santuário do Cristo Rei, um monumento inspirado no Cristo Redentor do Rio de Janeiro e que possui um mirante fantástico de onde é possível admirar a bela Lisboa, a cidade branca.

Lá do alto pudemos ver o Castelo de São Jorge que mais tarde visitaríamos, considerado o ponto de partida da fundação de Lisboa, foi Residência Real de  D. Afonso Henriques, de 1147, quando o tomou dos Mouros, até 1511. Esteve abandonado por séculos até ser restaurado em meados de 1938.

As escadas são vertiginosas e os parapeitos muito baixos, mas nada que não encoraje uma volta no alto de suas muralhas.

Visitamos também a Sé de Lisboa, ou Igreja de Santa Maria Maior que foi construída pouco depois da conquista de Lisboa aos Mouros (1147), sobre o local que antes era ocupado pela mesquita principal.

O edifício atual é uma reconstrução parcial, já que o terramoto que aconteceu em Lisboa em 1755 deixou a cidade devastada causando alguns estragos na Catedral.

A Sé é o edifício religioso mais importante de Lisboa, suas torres simétricas são imponentes e podem ser vistas de vários miradouros da cidade.
A arquitetura do edifício é uma mistura dos estilos romântico, barroco e gótico e no seu interior é possível identificar as diferente alterações de estilos que sofreu ao longo dos anos.

Para fechar o dia, fomos fazer as últimas fotos no Padrão do Descobrimento, um monumento monstruoso em homenagem a vários desbravadores Portugueses.

É um dos cartões postais da cidade e foi inaugurado em 1960, nas celebrações dos 500 anos da morte do Infante D. Henrique (Henrique O Navegador).
Evoca claramente a expansão marítima e foi projetado em forma de caravela, liderada pelo Infante D. Henrique (com a pequena caravela na mão), seguido de muitos outros heróis da história portuguesa: Vasco da Gama, Pedro Álvares Cabral, Fernão Magalhães (que atravessou o pacífico em 1520), o escritor Camões e muitos outros.

Com certeza, Lisboa é uma cidade para se ficar ao menos uma semana visitando suas ruas, igrejas e museus, mas pelo pouco que vi, fico com a certeza de voltar em breve.

Aos amigos do Clube DUCATI Portugal, em especial ao Ricardo, que me acompanhou o dia inteiro me guiando por essa cidade maravilhosa, o meu mais sincero obrigado.

Nos veremos em breve amigo.

Agora é arrumar a bagagem e partir para Madri.

fotos relacionadas
Parceiros neste projeto