patrocinado por

DE BH RUMO À PALESTRA NA DUCATI RIO DE JANEIRO

23º dia de viagem
Cidade: Rio de Janeiro/RJ | Categoria: Diário do Piloto
Postado em: 4/7/2014
Diário de Motocicleta

Os quilômetros que seriam percorridos entre Belo Horizonte/MG e Rio de Janeiro não eram dos maiores neste nosso projeto, somente 440 km, porém a qualidade da pista pela frente era o maior desafio.

Saindo de BH pela BR-040, a pista segue duplicada e com um asfalto razoável por cerca de 50 km, quando a pista se transforma em vicinal e o asfalto praticamente acaba.

Como na região existem muitas minas de extração de ferro, o tráfego de caminhões pesados vem destruindo pouco a pouco a pista, forrando o caminho com uma fina camada de pó de ferro que gruda em tudo quanto é lugar... na roupa, na viseira e na moto... justo agora que a DUCATI Belo Horizonte lavou a minha Multistrada.

Já comentei em outros artigos que não gosto de lavar a moto, sou apegado à sujeita do caminho, e quando lavo, fico com dó de sujar. É, eu sei, tenho sérios problemas... mas voltando ao trajeto, a estrada vai ficando cada vez pior, até Congonhas/MG quando em um passe de mágica, o asfalto fica liso como um tapete.

Mas não comemore, pois dura bem pouco, na verdade uns 20 km até todos os remendos, buracos e imperfeições da pista voltarem.
Em Conselheiro Lafaiete chega a dar raiva a sequência quase que interminável de lombadas, radares e buracos, tudo junto e desnecessário. É impossível ser multado por excesso de velocidade.
Por volta dos 100 km percorridos a pista melhora, chegando a um nível satisfatório.

Bom mesmo é a partir de Juiz de Fora, quando começa a parte privatizada da rodovia que segue perfeita até o Rio de Janeiro, exceto pela Serra de Petrópolis que possui asfalto de concreto completamente irregular.

Agora (JUL/14) estão construindo a nova subida da serra, então a atenção deve ser redobrada.

Chegando ao Rio de Janeiro depois de 5h de viagem, segui direto para a Loja da DUCATI e resolvi ficar direto para palestra.

Como nas demais lojas pelas quais passei, fui muitíssimo bem recebido e pude até tomar um bom banho e trocar de roupa.

Estava com um dilema quanto a estadia no Rio, não sou do tipo de pessoa de rasga nota de 100 Reais e por conta da Alta Temporada e Copa do Mundo, qualquer hotel meia estrela está cobrando US$ 150,00 a diária. O hotel em que me hospedei ano passado e paguei US$ 55,00 aumentou para US$ 215,00 – um absurdo.

Com o cair da noite, os amigos foram chegando e a casa só não ficou cheia por conta do feriado decretado no Rio de Janeiro no dia seguinte, ai já viu... motociclista e feriado é igual a estrada.

A palestra foi bem gostosa, em ritmo de bate papo e acabou com um tour com os amigos pela Praia de Copacabana antes de me guiarem até a Ponte Rio-Niterói.
Optei em pernoitar em Itaboraí, cerca de 30 km do centro do Rio de janeiro, aqui as diárias estão na casa dos US$ 100,00.

Agora começa a epopeia de percorrer 2.200 km até Recife/PE em 4 dias... de lá seguimos para Europa.

fotos relacionadas
Parceiros neste projeto