patrocinado por

PILOTANDO ÀS CEGAS

10º dia de viagem
Cidade: Arraial D´Ajuda/BA | Categoria: Diário do Piloto
Postado em: 16/8/2013
Diário de Motocicleta

Depois de uma ótima recepção na Pousada Raio de Sol do amigo motociclista Geraldo Fraga (Brazil Riders) em Guarapari, saímos rumo a Arraial D´Ajuda.

A BR-101 capixaba tá um show, com boa parte do asfalto novo, muito bem sinalizada e com curvas deliciosas. O único senão é a grande quantidade de caminhões até Vitória, e alguns trechos em obras como a alça de acesso para Vila Velha que faz muitas voltas e se mistura ao trânsito local... tirando as mil ultrapassagens, é possível fazer uma viagem tranquila e esticar em alguns momentos até 130 / 140 km/h (não faça isso em casa).

No entanto, por conta das constantes reduzidas e espera para o momento seguro para ultrapassar, a viagem segue na média de 70 a 80 km/h, prova disso é que na primeira hora percorremos apenas 73 km e na segunda cerca de 85 km.

O bom mesmo é curtir a paisagem e o capricho da natureza com campos que seguem ondulados até se transformarem em rochas e subir em altas montanhas de pedras pretas.

Simplesmente lindo!

Os pedágios desaparecem e os radares somente em zonas urbanas, marcando entre 40 e 60 km/h.

Este paraíso meio que acaba quando entramos na Bahia.
O asfalto literalmente muda de cor e de textura e a sinalização horizontal praticamente se apaga. Fica complicada a pilotagem mais por conta dos solavancos da pista, com ondulações injustificadas até mesmo em lugares sem remendos.

Não há em grande parte da pista acostamento e os postos de gasolina sem bandeira começam a proliferar.
A boa notícia é que há muito poucos buracos.


O Perrengue

Quando chegamos em Eunápolis/BA o tempo nublado que nos acompanhou desde Guarapari/ES transformou-se em chuva passageira, coisa pouca, mas que nos fez parar no Posto da Polícia Rodoviária para Elda colocar a Capa de Chuva da GIVI.

Tudo pronto, seguimos para Arraial D´Ajuda pela BR-367 facilmente acessada pela BR-101.

O começo dela é trecho urbano, com semáforos e iluminação pública, depois disso vem o breu e mais uma vez a ausência de acostamento.

Passados uns 5 km, loucos para chegar e já pilotando sem a luz do Sol – já passavam das 18h30 – liguei o farol alto e o danado apagou. Pensa em um cego pilotando uma moto a 120 km/h!

Mantive a calma, tirei a mão do acelerador e acendi o pisca alerta para ser visto naquela escuridão.

A lanterna da V-Strom iluminava muito pouco a pista, suficiente para constatar que não havia acostamento, enquanto isso o dilema passava pela cabeça... seguir em frente ou voltar até então uns 10 km para Eunápolis?

Resolvi continuar e quando duas motos passaram por mim, entortei o cabo para segui-las, mas infelizmente mesmo com o pisca alerta ligado, os caras não se tocaram e me parece que até aceleraram mais, meio que abrindo fuga.
Por segurança deixei os meninões seguirem de chinelo e camiseta e voltei a tirar a mão.

No primeiro ponto de luz parei para verificar os fusíveis e para o espanto, todos estavam em perfeita ordem, então não tinha o que fazer a não ser continuar.

A providência divina já havia cessado a chuva e agora abria o céu para que uma Lua Quarto Minguante iluminasse ainda que bem pouco a pista... e assim seguimos cegos seguindo carros que passavam por nós a mil por hora.

Houve um carro que quando passou por nós e viu as luzes apagadas, reduziu e foi desviando de buracos e dando seta a cada curva, mas logo saiu da pista e seguimos novamente no escuro.

Foram intermináveis 60 km até Arraial D´Ajuda, mas que felizmente acabou bem.

Agora vamos resolver essa problema e subir para Salvador.

 

fotos relacionadas
Parceiros neste projeto