patrocinado por

BRAÇOS ABERTOS SOBRE A GUANABARA

Cidade: Rio de Janeiro/RJ | Categoria: Passeios
Postado em: 12/8/2013
Diário de Motocicleta

O amanhecer no Rio de Janeiro foi nublado, e praguejei nunca ter curtido um dia de Sol na cidade maravilhosa. Em 2010 quando passamos por aqui, descendo de Salvador na nossa primeira viagem de longa distância, pegamos uma frente fria que deu dó, e depois de subir o Pão de Açúcar em meio ao vento gelado e chuva, adiamos a estadia e partimos rumo à Paraty.

O clima não estava frio, mas o danado do Sol parecia que não ia dar as caras... até que de repente as nuvens foram se dissipando, e os planos de rodar pela cidade logo foi substituída por uma subida ao Corcovado.

Tínhamos duas alternativas, seguir para a Rua Cosme Velho e pegar o tradicional bondinho ou subir de moto até o Cristo.

A opção dois parecia mais divertida e lá fomos nós de motoca.
A subida é complicada por que segue os trilhos do Bonde do Morro da Dona Marta, e mesmo com pouco trânsito, cruzar os trilhos gera um frio na barriga e um certo "ar de fud*** !" (rs).

Mas não compramos terreno... subimos devagar e com muita atenção até o ponto das vans que levam ao Cristo... deste ponto em diante segue-se apenas de van ou a pé.

Os ingressos das vans são mais em conta que do bondinho que custam cerca de R$ 43,00 (US$ 18,83) por pessoa... de van esse ingresso custa apenas R$ 19,36 (US$ 8,49). Esse bilhete garante ida e volta de van e entrada no Corcovado.
Ao chegarmos, em plena segunda-feira, encontramos o Corcovado lotado de turistas curtindo 29°C e um dia quase azul.

Tirar fotos foi um exercício de paciência, mas todos tinham seu momento de abrir os braços abaixo do Cristo que impressiona, não tanto pela altura, mas pelo simbolismo que tanto vemos na mídia e em fotos... realmente, estar ali era uma coisa incrível!

Mas incrível mesmo foi ouvir alguém chamar meu nome com um sotaque espanhol e quando respondi, Geromo Pirotto, um motociclista do Uruguai com o qual converso pelo Facebook me reconheceu e se apresentou. O mundo sobre duas rodas é pequeno demais.

Se tivéssemos marcado hora e local não nos encontraríamos. Tenho amigos no Rio que com certeza partirei sem conseguir encontrar, por conta de trabalho, estudo entre outros, e encontrar um amigo do Uruguai foi impressionante.

Geromo e a Esposa estão curtindo uns dias no Rio, vieram sem moto, mas já planejam uma viagem ao Ushuaia, onde aproveitarão as dicas do Diário de Motocicleta.
Ficamos um tempo conversando, tiramos fotos para registrar essa coincidência e aproveitei para entrevistá-lo para um vídeo do Salão Duas Rodas.

Nos despedimos com a promessa de nos encontrarmos na próxima vez no Uruguai.

Depois de mais algumas centenas de fotos e vídeos, voltamos para o hotel e curtimos um trânsito carioca que deixaria qualquer paulista com inveja (rs).

Nessa brincadeira, nosso almoço quase virou janta e deixou para amanhã nossa visita ao Maracanã.

fotos relacionadas
Parceiros neste projeto