patrocinado por

DE VOLTA À SÃO JOÃO DEL REY

Cidade: São João Del Rei/MG | Categoria: Diário do Piloto
Postado em: 7/7/2013
Diário de Motocicleta

Minha volta à São João del Rey se deu por conta do Moto Turismo Guiado “João del rey sem Dentes”, no qual teria o enorme prazer de guiar os amigos Wagner e Fumiko, que percorreu com o Diário de Motocicleta as incríveis serras do Sul do Brasil em “Serras & Rastros II”.

Nosso encontro foi na Praça Pan Americana em São Paulo, de onde partimos rumo à Rod. Fernão Dias.

Por se tratar de um sábado, início do feriadão de 9 de Julho (Revolução de 32 – Est. de São Paulo), o movimento já nos primeiros KM era forte, causando congestionamentos ao longo de uns 15 km do trecho sinuoso ao sair da Capital.

Esse "anda e pára" se estendeu e não nos deixou com outra alternativa a não ser andar no corredor com muita atenção e baixa velocidade.

Quando finalmente passamos a divisa e entramos em Minas Gerais, a expectativa de uma estrada mais livre caiu por terra por conta dos caminhões que andavam em fila dupla e paravam o trânsito.

Foram cerca de 100 km de corredor.

A Fernão Dias para quem não conhece, é uma bela estrada, com muitas curvas abertas, que sobem e descem colinas, e é isso que gera o seu trânsito, pois nas subidas os caminhões diminuem a velocidade, e sempre tem um que acha que pode ultrapassar, mas que acaba vencendo na hora da descida.

O asfalto é velho e emborrachado por conta de tantos pneus passando diariamente. São pouquíssimos buracos e remendos, o que garante uma viagem confortável.

Paramos em Camanducaia para um rápido lanche e depois de mais um congestionamento na altura de Três Corações (recapeamento da pista), paramos para abastecer e tomar um café para acordar, já que o ritmo lento da viagem estava dando sono.

Depois de um total de cinco pedágios, onde moto paga R$ 0,70 (US$ 1,75), finalmente chegamos na região de Lavras e saímos da Fernão Dias, entrando na BR-265 para percorrer os últimos 100 km até São João Del Rey.

Esse trecho já foi bem ruim, com muitos buracos e remendos mal feitos, mas hoje está um tapete, porém, como cruza várias cidades, é preciso calma e atenção aos pedestres e trânsito local.

Ao fim de mais de 480 km, depois de 8h de viagem, chegamos ao nosso destino prontos a passar os próximos dois dias fazendo turismo na região.