patrocinado por

PASSEIO POR ITAIPU

Cidade: Foz do Iguaçu/PR | Categoria: Passeios
Postado em: 8/1/2013
Diário de Motocicleta

Estava disposto a seguir para Curitiba, e depois, no dia seguinte, voltar para casa. Mas conversando com a Elda pelo MSN, ela acendeu novamente a vontade de conhecer Itaipu, um passeio previsto para fazer com ela – como tantos outros – mas que agora, perto de casa, a ansiedade de reencontrá-la, me fazia querer pular este passeio. Só que eu sou um homem que respeito muito as mulheres e tenho por hábito a última palavra... ela disse “vá” e eu respondi, “vou”!

A Usina de Itaipu é uma coisa monstruosa e há vários passeios a serem feitos no complexo. Existe por exemplo a visita técnica que segue pelo interior da usina e vai até os geradores, essa eu deixei para fazer com a Elda e fui conferir o “Passeio Panorâmico” que consiste em um passeio contemplativo com paradas perto da usina que garantem boas fotos.

O passeio custa R$ 22,00 e o estacionamento sai por R$ 8,00. Antes do tour, no entanto, há um filme sobre a construção de Itaipu e os projetos criados pela Usina que tem como sócia o Paraguai, já que fica no Rio Paraná, que define a fronteira com o nosso vizinho.
O filme é muito interessante e dá orgulho de ser brasileiro, mesmo em sociedade com o Paraguai, onde tudo é rachado meio a meio, do número de funcionários à energia gerada por Itaipu, que em Guarani significa “Pedra que Canta”.

Curiosidades à parte, o Paraguai devolve para Itaipu 48% dos 50% que tem direito, já que apenas 2% suprem 75% da demanda de energia no país. O restante é gerado por outras hidrelétricas no país.
Esses 48% são comprados pelo Brasil e os então 98% suprem apenas 16% do consumo nacional.
São 7 milhões de habitantes contra os 190 milhões do Brasil... é gente demais tomando banho e usando ar condicionado!

O passeio de ônibus segue pelo vertedouro e depois para na frente das turbinas, quer dizer, do paredão que tem os canos de 10m de diâmetro onde a energia é gerada. Neste ponto há uma parada para fotos de 10 minutos, e depois segue-se para os gigantescos canos, e de lá subimos até o alto da represa onde paramos novamente.

Os lugares na parte superior do ônibus são disputados e tecnicamente não há banco marcado. Como fui de capacete, o deixei no banco e garanti um bom lugar, se bem que não existe um lugar bom (esquerdo ou direito). Acho que se fosse indicar um melhor lado, o direito é mais interessante já que na passagem pelos tubos, eles ficam mais próximos deste lado. Na volta existem paredes que impedem a visão total de quem estiver do lado esquerdo – que era o meu caso.
Há uma guia que vai ao longo do caminho contando curiosidades da construção que começou em 1974 e só terminou efetivamente no Governo Lula – disso eu não lembrava.

O passeio todo (cine e tour) leva cerca de 2h e vale a pena.

Da próxima vez que estiver em Foz, farei o passeio por dentro da Usina que deve ser tão incrível quanto.

fotos relacionadas
Parceiros neste projeto