patrocinado por

PATAGÔNIA ADENTRO...

11º dia de viagem
Cidade: Trelew/AR | Categoria: Diário do Piloto
Postado em: 13/12/2012
Diário de Motocicleta

O dia começou com uma rápida passada pelo centro de Bahia Blanca pra tirar algumas fotos, e dali posto e pista.

O programado era rodar até San Antonio Oeste, distante cerca de 410 km. A informação que eu tinha é que após Bahia Blanca, os “ventos patagônicos” soprariam com mais força, então preocupado com o tempo de viagem, escalei trajetos curtos. Porém, estava disposto a rodar até Trelew, acrescentando mais 350 km segundo o Google, isso por que San Antonio Oeste seria apenas mais uma cidade dormitório.

Às 11h estava na pista, e para poupar cerca de 50 km, ao invés de pegar a Ruta 3 desde Bahia Blanca, segui pela Ruta 22... é muito fácil, basta seguir as placas que indicam Rio Colorado e Medanos.

Cerca de 25 km depois, fui parado em uma fiscalização bacteriológica que marca a entrada da Patagônia. Basicamente estão em busca de frutas e legumes e a abertura das malas foi solicitada muito gentilmente.
Rapidamente libertado, voltei para Ruta 22 que é muito boa, com asfalto bom e movimento de caminhões relativamente pequeno.

Prepare uma boa seleção de músicas no Ipod, por que a retas vão começar. Para se ter uma ideia, de Medanos até Rio Colorado são aproximadamente 100 km de reta, com duas curvas de 20 graus e olhe lá.

Em Rio Colorado tem vários postos, os mais caros são o BR e o ESSO... passando-os - cerca de 30 km depois tem uma saída à esquerda para a Ruta 251 que segue para San Antonio Oeste - serão 200 km onde apenas em General Conesa deverá ter posto... não vi da estrada, mas na cidade deve ter.
Os ventos bateram da direita para esquerda, mas nada fora do comum e preocupante.

Em San Antonio Oeste logo no trevo tem um Posto YPF e dele foram mais 310 km até Trelew.
Ao entrar na província de Chubut, avistei um Controle Policial (Gendarmería Nacional Argentina) e pensei com os meus botões se era chegada a hora da propina... mas passando bem devagar, acenei para os quatro oficiais na pista que retribuíram o sinal e me deixaram passar.

Boooaaaaa!

Dali alguns km os ventos mudaram e começaram a soprar da esquerda para direita, isso foi muito bom por que meu pescoço do lado direito já estava doendo e esse movimento contrário serviu como massagem.
O que veio no pacote foi uma temperatura menor, que no começo refrescou mas depois gelou.

Uma coisa que os amigos devem tomar nota é que com ventos da esquerda para direita, quando em estrada vicinal, ao cruzar com caminhões e ônibus, o impacto com um “paredão” de vento é muito maior, então por segurança, convém afastar-se da faixa amarela na hora do cruzamento.

Na última parada que dei na estrada para tirar fotos, uma V-Strom vermelha parou do meu lado e pilotando, um motociclista da Inglaterra que me seguiu rumo à Trelew.

Andamos atrás de um Hostel e ao encontramos, decidi ir buscar um Hotel, pois apesar do custo ser 50% a menos, os quartos eram compartilhados e não tinha estacionamento... como vou ficar dois dias... nestas condições não vira pra mim.
Me despedi do inglês que não consegui entender o nome dele por nada neste mundo, e logo estava na recepção de um hotel me instalando.

Amanhã tem turismo na cidade e revisão da motoca.

fotos relacionadas
Parceiros neste projeto