patrocinado por

AS ATRAÇÕES DE PUERTO MADERO

Dia: 10/12/2012 | Cidade: Buenos Aires/AR | Categoria: Passeios
Diário de Motocicleta

Somente quando levantei pela manhã e coloquei os pés no chão, me dei conta de o quanto tinha andado no dia anterior. Meus pés tinham bolhas até entre os dedos para se ter ideia, e minha pernas doíam muito.

Comecei no café da manhã a traçar um roteiro em que eu pudesse percorrer de moto, assim pouparia meus pés, mas tão logo voltei para o quarto, os primeiros trovões estremeceram as janelas e não demorou nem 5 minutos para o Sol desaparecer e o dia escurecer.

Daquela hora em diante, desabou o mundo.

No meio da tarde estiou e desci animando, mas foi o tempo do elevador para a chuva começar novamente.
O jeito foi ficar de castigo no quarto, respondendo e-mails, tratando fotos, redigindo artigo para o jornal e colocando a conversa em dia com a Elda, via MSN, onde pude constatar que ela está se recuperando a cada dia.
Na falta de roteiros hoje, vou aproveitar e falar sobre o Porto Madero que visitei ontem e que somente na volta para casa escreveria sobre ele ok!

Puerto Madero

Um grande problema das cidades litorâneas que possuem porto, é o abandono e evasão turística da zona portuária, haja vista a pouca estrutura geralmente oferecida. Em Santos, cidade vizinha de onde moro, não é diferente. Basta uma volta pelo cais para encontrar moradores de rua, “nóias”, lixo, entulho e prostitutas.

Em Buenos Aires não era diferente, até que as autoridades interviram e remodelaram o antigo porto, criando um grande calçadão onde é possível passear com a família tranquilamente.

Há guindastes antigos que agora decoram a paisagem como se fossem esculturas gigantes, e bares e restaurantes frequentados por turistas.
Nota-se a crise instalada na Argentina, com mais bares fechados do que abertos, e mesmo num domingo de Sol, o porto não estava cheio.

Fragata Sarmiento

Caminhando ao longo dos seus decks e possível chegar até a Fragata Sarmiento, um barco escola que foi construído em 1898 na Inglaterra, a pedido do Governo da Argentina. Realizou ao todo mais de 39 viagens pelo mundo e percorreu todos os mares e aportou em todos os continentes.

A entrada custa $2,00 (dois pesos) e o visitante pode andar por quase todo o navio, incluindo a sala de máquinas que é um dos pontos mais interessantes.
Sente-se a falta de um guia, que poderia completar com muitas informações, já que o pequeno museu dentro do barco oferece poucos dados e não há uma cronologia ou caminho a seguir atrás da história.
Já para os amantes de fotografia, os ângulos oferecidos são dos mais variados e inusitados, basta criatividade e olhar.

Se você estiver em Puerto Madero, entre no barco, mas não faça dele o objetivo para ir até o porto, por que você vai se decepcionar.

Ponte da Mulher

Ao lado da Fragata está a Ponte da Mulher, que foi a primeira obra do arquiteto e engenheiro valenciano Santiago Calatrava a ser construída na América Latina.
Ela tem 160 metros de comprimento e 6 metros de largura. Seu mastro metálico eleva-se 39 metros, o que oferece a ponte um peso aproximado de 800 toneladas. O curioso é que está preparada para mover-se cada vez que uma embarcação precisa passar.

Seu mecanismo de giro é um dos mais modernos do mundo, com 20 motores elétricos no eixo principal, comandados por computador.

A obra (doada à cidade por um empresário) foi realizada na Espanha e trazida em partes a Buenos Aires em vários embarques em 2001. O perfil plástico da obra é interpretado pelo autor com a figura de casal que dança o tango, onde o mastro branco representa ao homem, e a silhueta, curva da ponte, à mulher.

fotos relacionadas
Parceiros neste projeto