patrocinado por

1ª PARTE DO DIA - MORRO DA IGREJA E S. DO CORVO BRANCO

4º dia de viagem
Dia: 19/11/2012 | Cidade: Urubici/SC | Categoria: Diário do Piloto
Diário de Motocicleta

Há quatro dias na estrada, nosso domingo amanheceu com céu azul, mesmo com muitos do nosso grupo não sabendo mais em que dia da semana estávamos.

A programação era extensa e começamos cedo, saindo do Posto Ipiranga de Urubici às 9h30 da manhã rumo ao Morro da Igreja.

O acesso principal se dá pela SC-439, um trecho inaugurado em 2011 que está um tapete, muito bem projetado e com sinalização horizontal e vertical top.

Rodando nela por uns 15 km, logo chegamos à saída para o Morro da Igreja onde estão as antenas de controle do tráfego aéreo do sul do Brasil (CINDACTA).
Situado a 1.822 metros de altitude e com uma temperatura média anual de apenas 11ºC, é o ponto habitado mais alto da região Sul e onde foi registrada a temperatura mais baixa do Brasil: -17,8ºC, em 29 de junho de 1996 (registro oficial), embora haja relatos de que a temperatura teria chegado a -20ºC, com uma sensação térmica de -46ºC.

Em seu cume é possível ver a Pedra Furada, formação natural que é uma das atrações do Parque Nacional de São Joaquim, dentro do qual se encontra o Morro da Igreja. O visual é incrível e como pegamos tempo aberto, ao longe era visível nosso próximo roteiro, a Serra do Rio do Rastro.

Mas antes disso, motocamos até o Véu da Noiva, uma bela cachoeira que por conta da estiagem, estava com uma queda d´água bem modesta e de lá seguimos para a Serra do Corvo Branco, acessando novamente a SC-439 e rodando mais uns 15 km, até o asfalto acabar.
Deste ponto em diante, foram 5 km de cascalho e solavancos, mas que compensam cada metro ao chegar diante da fenda, abertura feita na rocha pelo homem na década de 70, especialmente para a SC-439 seguir até Grão Pará.
Ironicamente a estrada próxima a Fenda é muito ruim, com pista única e trechos com asfalto e buracos. De toda forma, a abertura na rocha é impressionante alguns metros a frente, uma parede gigantesca nos torna ainda menores.

Foi realmente uma primeira parte do dia inesquecível, que só não foi melhor por conta do casal Marine e Aline, que por conta de compromissos profissionais, tiveram que deixar o grupo hoje.
Ali mesmo, da fenda, seguiram de volta para casa, enquanto nós seguíamos para Serra do Rio do Rastro.

fotos relacionadas