patrocinado por

1ª PARTE DO DIA - MORRO DA IGREJA E S. DO CORVO BRANCO

4º dia de viagem
Cidade: Urubici/SC | Categoria: Diário do Piloto
Postado em: 19/11/2012
Diário de Motocicleta

Há quatro dias na estrada, nosso domingo amanheceu com céu azul, mesmo com muitos do nosso grupo não sabendo mais em que dia da semana estávamos.

A programação era extensa e começamos cedo, saindo do Posto Ipiranga de Urubici às 9h30 da manhã rumo ao Morro da Igreja.

O acesso principal se dá pela SC-439, um trecho inaugurado em 2011 que está um tapete, muito bem projetado e com sinalização horizontal e vertical top.

Rodando nela por uns 15 km, logo chegamos à saída para o Morro da Igreja onde estão as antenas de controle do tráfego aéreo do sul do Brasil (CINDACTA).
Situado a 1.822 metros de altitude e com uma temperatura média anual de apenas 11ºC, é o ponto habitado mais alto da região Sul e onde foi registrada a temperatura mais baixa do Brasil: -17,8ºC, em 29 de junho de 1996 (registro oficial), embora haja relatos de que a temperatura teria chegado a -20ºC, com uma sensação térmica de -46ºC.

Em seu cume é possível ver a Pedra Furada, formação natural que é uma das atrações do Parque Nacional de São Joaquim, dentro do qual se encontra o Morro da Igreja. O visual é incrível e como pegamos tempo aberto, ao longe era visível nosso próximo roteiro, a Serra do Rio do Rastro.

Mas antes disso, motocamos até o Véu da Noiva, uma bela cachoeira que por conta da estiagem, estava com uma queda d´água bem modesta e de lá seguimos para a Serra do Corvo Branco, acessando novamente a SC-439 e rodando mais uns 15 km, até o asfalto acabar.
Deste ponto em diante, foram 5 km de cascalho e solavancos, mas que compensam cada metro ao chegar diante da fenda, abertura feita na rocha pelo homem na década de 70, especialmente para a SC-439 seguir até Grão Pará.
Ironicamente a estrada próxima a Fenda é muito ruim, com pista única e trechos com asfalto e buracos. De toda forma, a abertura na rocha é impressionante alguns metros a frente, uma parede gigantesca nos torna ainda menores.

Foi realmente uma primeira parte do dia inesquecível, que só não foi melhor por conta do casal Marine e Aline, que por conta de compromissos profissionais, tiveram que deixar o grupo hoje.
Ali mesmo, da fenda, seguiram de volta para casa, enquanto nós seguíamos para Serra do Rio do Rastro.

fotos relacionadas