patrocinado por

3º DIA - DE CAPÃO BONITO/SP ATÉ CAMPO LARGO/PR

3º dia de viagem
Cidade: Tibagi/PR | Categoria: Diário do Piloto
Postado em: 2/8/2011
Diário de Motocicleta

Depois de uma segunda-feira chuvosa e uma madrugada de dar medo, o dia amanheceu azul como se estivéssemos em outro lugar do país. 

Às 9h em ponto todos estavam abastecendo as motos e prontos para sair rumo à Tibagi no Paraná. 

O Newton ficou receoso quanto ao nosso trajeto via Serra da Serpente e resolveu seguir sozinho via Itararé o que lhe ofereceria cerca de 100kms a menos.
Mas o nosso problema não era a distância, e com céu azul queríamos rodar... e lá fomos nós. 

Seguimos pela SP-127, que é recheada de curvas e apresenta um piso que vai de bom à regular chegando a alguns trechos à ótimo. 

A temperatura estava subindo e paramos para tirar algumas peças de Segunda Pele Go Ahead e aproveitamos para ligar a Go Pro fixada no capacete. 

Neste trecho a Elda foi na moto do Jeová me filmando e eu filmando eles... quando voltarmos para casa vamos editar estes filmes, durante a viagem é inviável. 

Chegando em Apiaí/SP, encontramos numa barricada o DER onde um agente de trânsito nos informou que em Ribeira o Rio de mesmo nome havia transbordado e que não era possível passar. Pedi para descer e fotografar e ele permitiu. 

Rodamos cerca de 28 km de uma estrada fantasma... só nós curtindo as curvas que só não seriam melhores por conta dos buracos na pista. Acontece que em Ribeira uma pedreira está sento explorada pela fábrica de cimento de Apiaí... então imagina o tráfego de caminhões carregados nesta estrada... é buraco na certa. 

Chegando na baixada do Ribeira ficamos espantados com o que vimos... o Rio subiu cerca de uns 3 metros e meio e cobriu casas, plantações e a estrada. 

Ao meio dia havia cerca de 1 metro de água na pista em aproximadamente 100 metros de extensão de estrada... impossível ultrapassar. 

A alternativa era:
1- voltar 100 km até Capão Bonito novamente e, seguir o caminho que o Newton estava via Itararé;
2- voltar até Itaoca, descer até Iporanga e de lá correr até a BR116 e seguir até Curitiba... acrescentando mais uns 350 km no nosso roteiro. 

Preferimos esperar as águas baixarem e assistir os carros e caminhões que arriscavam a travessia. 

Cerca de duas horas depois... conseguimos passar e contatamos que a cidade toda havia sido afetada por conta da cheia do Rio... algumas ruas estavam cobertas de lama e numa delas o Jeová patinou e, como pensou rápido colocou os pés no chão, segurou a embreagem e deixou a moto deslizar alguns metros (Jeová viaja com uma Boulevard 800). 

A lama subiu pela canela e melecou a roda toda... fora isso nada de chão, nosso amigo deu sorte. 

Na cidade procuramos lugar para lavar a roda, mas a cidade estava sem abastecimento então o jeito foi tirar a lama na estrada mesmo. 

Começamos a rodar a Serra da Serpente, possível palco do Caminho do Peabiru e que é recheada de curvas de todos os tipos... abertas, fechadas, em sequência... uma estrada maravilhosa, com piso parecendo um tapete. 

Vale muuuito a pena percorrê-la... mas o tempo não é aliado... com tantas curvas, a velocidade média é de 60 – 70kms, e nem tente tirar o tempo perdido nesta estrada... relaxe e aproveite a BR476 que você ganha mais. 

Prova que o tempo voa foi chegar em Curitiba por volta das 6h00, bem na hora do rush o que nos atrasou muito mais e quando entramos na BR-277 rumo a Ponta Grossa, já era umas 19h30 e como fazia cerca de 5C°, abortamos a ida para Tibagi (faltavam cerca de 200 km), então entramos em Campo Largo e corremos para o Hotel. 

Eu e a Elda nos hospedamos no Hotel Campo Largo pois era o único dos quais rodamos que possuía WiFi... alguém tem que trabalhar! (rs)
Jeová e Santana foram para outro hotel mais simples enquanto isso o Newton era avisado que passaria a noite sozinho em Tibagi... 

Amanhã estaremos todos juntos.

fotos relacionadas
vídeos do roteiro