Entenda o Proj. Rodando as Cidades da Copa



Diário de Motocicleta

Quem me conhece sabe que eu não sei quantos caras jogam no gol... só para ter uma ideia do grau de importância que o tema futebol tem na minha vida, mas ai você deve estar se perguntando, que raios de projeto é este então?

Bom, há tempos nós sonhávamos em viajar pelo Brasil, na verdade, o plano sempre foi conhecer primeiro o nosso país, para só então sair em viagem pelo mundo.

Quebrar a cabeça montando um roteiro que cruzasse as cinco regiões foi um desafio superado, quando anunciaram a Copa do Mundo no Brasil.
O evento caiu como uma luva, já que distribuiram os jogos pelos quatro cantos do país.

Agora eu tinha um roteiro, e bastou um pouco de logística para traçar os mapas de uma volta completa, em sentido anti horário, saindo de São Paulo, subindo para Brasília, depois Belo Horizonte, Rio de Janeiro, Salvador, Recife, Natal, Fortaleza, Manaus (seis dias navegando o Rio Amazonas e depois descendo a BR-319), Cuiabá, Porto Alegre e Curitiba.

Vimos muitas Arenas ainda em construção, muita obra que até hoje não foi entregue, e nos tornamos os únicos turistas a visitar os 12 Elefantes Brancos erguidos/reformados para a Copa do Mundo.
Política a parte, focamos no turismo que estas 12 cidades "sede da copa" oferecem aos turistas, com ou sem um evento deste porte.

Em parceria pela 2ª vez consecutiva com o Salão Duas Rodas, nossa trip pelo Brasil terminou com a nossa moto mais suja do que nunca, em exposição no Anhembi, onde mais uma vez tivemos o prazer de receber o abraço dos amigos e escutar incríveis relatos de viajantes de moto.

ALÔ JOÃO DE SANTO CRISTO... ESTAMOS EM BRASÍLA

2º dia de viagem
Cidade: Brasília/DF | Categoria: Diário do Piloto
Postado em: 8/8/2013
Diário de Motocicleta

Quando tudo estava pronto e montado na moto, a bateria da máquina digital inexplicavelmente apagou. Levou um tempo para entendermos que ao colocar a bateria para carregar e sair para jantar, a chave eletrônica desligou as tomadas do quarto, e quando voltamos, carregamos a máquina e a separamos.

Nesse meio tempo deixamos na portaria do hotel meia carga e partimos para Brasília... já passava das 11h.

BR-050 inédita pra mim, deste ponto em diante nunca havia passado... é a sensação que mais gosto quando viajo de moto, desbravar uma estrada desconhecida.

E que agradável surpresa foi a BR-050. Ela é daquelas estradas que por conta do relevo da região, a conquista do topo da colina desvenda o traçado da estrada por quilômetros. Vê-se ao longe para onde se vai, e em especial essa estrada seguia serpenteando, subindo e descendo os morros.
No trecho de Goiás, duplicada na maior parte do tempo, com obras na região do Rio Araguari, e a cerca de 35 km para divisa, um trecho de forte declive em pista vicinal.

O asfalto de bom à regular, com poucos buracos, quase nenhum remendo, mas ondulações por conta dos caminhões, estes por sinal presentes e mais lentos nas cidades de Catalão e Cristalina, já em Goiás.

Simpáticos, muitos caminhoneiros ofereceram sinais de seta para ultrapassagem segura, e em outros casos, uma encostadinha no asfalto para se passar com a moto. Particularmente não gosto muito dessa última alternativa por achar arriscado para o caminhoneiro que sai pro lado, mas não tira o pé... mas acabo aceitando e sempre dou um toquinho de buzina, faço uma graça com piscas e aceno agradecendo... precisamos de mais gente gostando e respeitando motociclistas, do que achando que somos baderneiros, perigosos e bêbados.

Em Goiás, a BR-050 não perde sua graça, pelo contrário, fica mais bela serpenteando entre árvores coladas na estrada. No fim de tarde a luz é perfeita para fotos.

Os postos de combustível meio que desaparecem depois de Catalão. Em 200 km devo ter passado por dois ou três. Se em outras épocas do ano soprar o vento que soprou hoje nos primeiros 100 km, a gasolina secará rapidamente.

Abasteci em Catalão e Cristalina, quando saí da BR-050 à esquerda e segui ainda mais 123 km até o Distrito Federal que apresenta um forte trânsito nas cidades do entorno e obras na Capital.

Estamos em Candangolândia que fica a uns 15 km do Plano Piloto, além de sossegado, é bom e mais barato.

Amanhã daremos um bom rolê por Brasília... até mais!

fotos relacionadas
Parceiros neste projeto