MOTOCICLISMO NÃO RIMA COM PRECONCEITO

Postado em: 29/8/2014 | Categoria: Mundo 2 Rodas
Diário de Motocicleta

O projeto Multi Aventura rumo ao World DUCATI Week 2014 já garantia uma deliciosa “cereja do bolo” me esperando na Itália, mas antes disso, era preciso percorrer um longo roteiro de palestras por todas as Lojas DUCATI no Brasil, e a pedidos, Buenos Aires e Montevidéu marcariam o começo desta viagem. Isso não me preocupou nem um pouco, ainda mais que a moto usada no projeto seria uma DUCATI Multistrada 1200 S Touring.

Mesmo com uma equipe afiada na preparação e viabilidade deste projeto, não tínhamos tempo para emplacar e despachar a moto para Argentina de avião, então, se o problema era levar a moto para os países “Hermanos”, eu levei.

O projeto saltou para 13.200 km e após uma palestra na DUCATI Santos – que marcou o inicio da série de encontros com motociclistas pelo país, dei uma esticada de 1.300 km já no primeiro dia até Pelotas/RS, e após 700 km no dia seguinte, eu curtia um anoitecer precoce e chuvoso em Montevidéu.

No meio deste caminho é que comecei a compreender os desafios e responsabilidades que haviam recaído sobre os meus ombros e o primeiro impacto foi o fato de viajar sozinho sem a Elda, minha parceira de viagens e dona de uma intuição que deve ser levada muito a sério.
Cuidados com a saúde da minha avó a impediram de viajar comigo, então, o mínimo que eu deveria fazer era não ficar choramingando dentro do capacete e honrar os adesivos colados no meu tanque, e os amigos que acompanhariam através de fotos e relatos publicados diariamente no Blog da DUCATI Brasil e site Diário de Motocicleta.

Deste ponto em diante, muitos vão dizer que tenho muita sorte, mas na verdade não existe sorte sem trabalho, e se hoje tenho a oportunidade de realizar uma viagem desta magnitude, com algumas poucas semanas de planejamento, acreditem, o caminho não foi fácil... aliás nunca é. Quem viaja de moto tem que estar sempre disposto a passar dificuldades que sempre carregamos sem saber, no meio das bagagens.

Há que se ter um espírito empreendedor e a vontade de sair de situações de dificuldade, ter a mente e os olhos bem abertos, livres de preconceitos e achismos que distorcem os fatos.

Um momento engraçado foi no Caminito, em Buenos Aires. A DUCATI Multistrada chamou tanta atenção, que um casal de dançarinos de Tango pediu para tirar foto com a moto, e, após a sessão de flashes, o comando da Policia da Prefeitura (equivalente a nossa Guarda Municipal com mais poderes) me mandou encostar.

Com certeza a palavra propina já passou pela sua mente não foi? Pois bem, parei a moto e como de costume tirei o capacete antes de descer da moto com um belo sorriso, emanando felicidade por ter sido parado e desejando um ótimo dia a todos.

Sorria e o mundo sorrirá para você.

O oficial retribuiu os sorrisos e a simpatia, e pediu meus documentos que foram direto pra debaixo do braços dele, quando me perguntou: “É uma DUCATI?”
Respondi que sim e outros dois oficiais se aproximaram e começaram a me encher de perguntas sobre consumo, preço no Brasil, rede de oficinas, tecnologia... até que uma viatura da Polícia Federal Argentina parou atrás de nós e batendo no para-brisa o Tenente me chamou. Ao me aproximar veio a derradeira pergunta: “É uma DUCATI?

Quando disse que sim os quatro oficiais desceram do carro e se juntaram aos outros três guardas e ali ficaram todos namorando a moto por quase meia hora entre perguntas e momentos de contemplação.

Me liberaram sem ao menos conferir os documentos... sem propina, sem chantagem e sem extorsão. Pensei em tirar uma foto, mas a pressa em seguir para um próximo ponto turístico falou mais alto... uma pena!

Dizer que não acontece, é tapar o Sol com a peneira e refutar o testemunho daqueles que já tiveram que abrir a carteira para um policial argentino, boliviano ou mesmo brasileiro, mas daí ter a certeza que o contato com oficiais vai atacar diretamente o seu bolso, já é demais.

O mesmo cabe em relação à violência. Vejo muitos posts em redes sociais de motociclistas com medo de viajar no Brasil e no exterior por conta de assaltos.
São várias pessoas que evitam Rio de Janeiro e São Paulo por conta das manchetes de jornais e programas de TV sensacionalistas!

É preciso estar atento claro, mas não podemos julgar uma nação por conta de fatos isolados ou infortúnios que aconteçam com amigos ou conhecidos.

É preciso viajar com os olhos abertos, disposto a absorver novas culturas, costumes, sem pré julgar, sem preconceito, sem medos tolos e com um belo sorriso na cara e entusiasmo no coração.

Se isso não servir como escudo, no mínimo lhe fará dar boas risadas ao contar suas aventuras e enrascadas!

veja também

Oferecimento
GIVI do BRASIL

Publicidade
Viagem na Foto

Motoque-se
Dobradinha Atacama com Santiago

Baixe Grátis
Taqueopariu - O outro lado das viagens de moto