10 DICAS PARA PILOTAR SUA BIG-TRAIL

Postado em: 24/7/2012 | Categoria: Fica a Dica
Diário de Motocicleta

Imagine a situação. Você foi convidado para passar o final de semana em um hotel-fazenda nas montanhas de Minas Gerais. Para encarar o espírito aventureiro você decidiu ir até lá pilotando sua bigtrail. Mas, de sábado para domingo uma tempestade atinge a região. Resultado, os quilômetros de terra que ligam o hotel até o asfalto estão em péssimas condições de rodagem. O motociclista irá encarar trechos com lama, pedras soltas, além de ser obrigado a cruzar trechos alagados. O que fazer? Você está pronto para uma situação com essa?

A seu favor o piloto tem um tipo de moto feita para transpor obstáculos em qualquer tipo de terreno, mas é preciso técnicas para isso. Técnicas que mesmo o motociclista com pouca experiência fora de estrada deverá usar para superar imprevistos como os desta fictícia viagem. Para isso a Agência INFOMOTO convocou o mineiro Felipe Zanol, melhor piloto sulamericano na última edição do Rally Dakar 2012. Ele passou dicas valiosas para encarar esses obstáculos. "São detalhes que podem fazer a diferença na hora do sufoco”, explica Zanol.

Para esta aula de pilotagem off-road, o piloto rodou com a Honda XL700V Transalp pela região do Parque Nacional do Itatiaia, na divisa dos estados de Minas Gerais e Rio de Janeiro. Confira as dicas:

1 - Recomendações para pilotar na terra

Pequenos ajustes podem melhorar a pilotagem em trechos de terra, mesmo com uma bigtrail de uso misto em terrenos muito lisos, como lama. “Baixar a calibragem é um deles; se normalmente você utiliza 30 libras, baixe esse número para 15. Assim, a moto terá uma maior tração", explica o piloto de enduro e rali. "Uma proteção de mão também se faz necessária, já que um galho pode bater no manete, te atrapalhar e até mesmo acionar o freio dianteiro por acidente."

2 - Subidas íngremes

O segredo é ter muito controle sobre o acelerador e ‘queimar’ um pouco a embreagem para transmitir a potência adequada para a moto e evitar que ela patine. “Acelerar em cima do barranco fará a moto patinar. O certo é acelerar antes, com tranquilidade, porque daí o motociclista sobe no embalo”.

3 - Declives de terra

Utilize sempre o freio-motor. “Aqui o motociclista precisa se posicionar bem antes de descer e soltar a moto. Use primeira marcha, utilizando o freio traseiro. O motociclista pode descer em pé ou sentado e isso vai mais da confiança de cada um. A vantagem de descer em pé na pedaleira é que seu pé já está em cima do freio traseiro”, explica Zanol.

4 - De pé sobre as pedaleiras

O terreno irregular tira o piloto de sua zona de conforto, e isso pode exigir uma pilotagem mais agressiva. No caminho o moto-aventureiro encontra pedras soltas, pisos irregulares e troncos. "Ficar em pé facilita bastante a pilotagem porque o corpo não absorve aquela irregularidade, aumentando o equilíbrio e a segurança", diz Zanol.

5 - Frenagem em trechos irregulares

A técnica de dosar os freios dianteiros e traseiros é parecida com a utilizada no asfalto, mas na terra a atenção deve ser redobrada. "O freio dianteiro é aquele que efetivamente pára a moto. Já o freio traseiro tem a função de equilibrá-la. Outra dica é utilizar ao máximo o freio motor para evitar o bloqueio das rodas. Você reduz as marchas e já solta a embreagem, acionando o freio em seguida”, explica o piloto.

6 – Na lama

Com piso escorregadio e com lama, a primeira providência é baixar a libragem dos pneus. Assim a moto estará mais equilibrada e oferecerá maior tração. Para pilotar a moto na lama o corpo do motociclista deve estar relaxado. Nunca faça acelerações ou frenagens bruscas. É “chão” na certa. Aqui a palavra-chave é suavidade.

7 - Encarando trechos alagados

No caso de uma poça d’água ou rio com pouca profundidade, o motociclista aventureiro precisa apenas tomar cuidado para não aquaplanar, dosando o acelerador, com calma. Agora se o caminho tiver muitas pedras e escorregadio, a melhor opção é passar ao lado da moto. “Se for um riacho com correnteza, a melhor opção é você descer da moto, escorá-la com seu corpo e controlar acelerador e embreagem.”

8 - Pilotando sobre pedras

Subir e descer pedras também exige muito cuidado com a aceleração e embreagem, mas o piloto precisa levar em consideração que o piso pode estar escorregadio. A dica é ir sempre devagar, com o pé próximo ao chão, sem deixar a moto embalar ou arrancar muito forte - principalmente quando for necessário superar trechos com pedras irregulares. “Neste caso é melhor ficar sentado, já que os pés mais próximos do solo pode ajudar a manter o equilíbrio.”

9 - Ponte estreita

Na visão de Felipe Zanol, o mais recomendado seria rodar com a moto onde está a marca do pneu do carro. “Mas se você perceber que é possível passar pelo meio, essa é a melhor escolha”, conta o piloto mineiro dizendo que toda vez que você encontrar uma ponte estreita, reduza a velocidade e alinhe a moto antes de passar por ela, porque o piso normalmente é mais escorregadio. “Se você deixar para corrigir uma trajetória em cima da ponte, a moto pode te jogar para fora”, explica Zanol.

10 - Levantando a moto

Agora se o tombo for inevitável, tenha calma. A maneira mais eficiente de erguer a moto é mais simples do que se imagina. O certo é levantar pelo guidão mesmo, fazendo uma alavanca com o corpo para ficar mais leve. Antes disso é preciso verificar a condição da motocicleta. É normal “empenar” um pedal de freio ou o próprio câmbio, comprometendo a pilotagem.


Fonte: Aldo Tizzani / Agência Infomoto

veja também

Oferecimento
GIVI do BRASIL

Publicidade
Viagem na Foto

Motoque-se
Rota das Cervejas MG

Baixe Grátis
Taqueopariu - O outro lado das viagens de moto