AS ESTRADAS DE ATIE CURY DO BUENA VISTA MC

Postado em: 12/6/2012 | Categoria: Entrevista
Diário de Motocicleta

Quem tiver a sorte de conhecer o amigo Atie Cury (46 anos, residente em Cotia/SP) antes de uma viagem de moto pela América Latina ou Brasil, com certeza poderá colher muitas informações úteis e que podem até lhe salvar a pele.

Com apenas 12 anos de estrada, este bem humorado e apaixonado por motociclismo, está Presidente de um dos Moto Clubes mais expressivos da Capital Paulista, o Buena Vista MC. É também Conselheiro da FMC - Federação dos Moto Clubes do Estado de São Paulo e certificado pela Iron Butt Association desde 2004.

Bacharel em Direito e Jornalista, as histórias e dicas contadas por Atie desvendam um motociclismo simples e gostoso de ser feito, dando a quem ouve seus causos, a segurança de realizar longas viagens de moto.

Confira o bate bapo que tivemos com este grande motociclista que encontrou nas estradas o grande sentido da vida.


DIÁRIO – Qual moto possui atualmente?
ATIE – BMW LT 1200 ano 2005 para realizar minhas viagens e uma Citycom 300i para rodar diariamente de casa ao trabalho e vice versa.

DIÁRIO – Quando e como se deu a descoberta que existia dentro de você um espírito motociclístico?
ATIE – Acho que nasci com ele, mas este novamente despertou quando da separação do 1º casamento, no início de 2001. Naquele momento eu procurava o sentimento mais puro e real de liberdade, acabei me encontrando em um negócio chamado Honda Shadow 600, ano 2000. Eu havia ficado casado 12 anos e foram 12 longos anos sem motocicleta, pois minha esposa não gostava de moto na época e para fazer dar certo me separei da moto e fiquei com ela, mas a vida me mostrou que o negócio para mim era outro, acabei me separando dela e voltei para a moto e os prazeres maravilhosos que ela proporciona. Realmente aconteceu em minha vida a indagação feita pela minha esposa na época, OU EU OU ELA (A MOTO) e a resposta foi simples. A MOTO.
Acabei conhecendo a mulher da minha vida, casei-me novamente numa cerimônia onde o púlpito foi minha motocicleta Suzuki LC 1500, ambos vestidos com roupas de motociclistas e os convidados todos trajando seus respectivos coletes.
Anos depois, confirmei os votos de casamento, realizando uma cerimônia bonita em Las Vegas, na White Chapel Las Vegas - (detalhe: o padre foi Elvis Presley).

DIÁRIO – Na América Latina já foram várias viagens, por quais países você já passou?
ATIE – Uruguai, Paraguai, Argentina e Chile, já fui 6 vezes, e em todas elas rodei por volta 9.000 km.
Saindo por Porto Velho, depois de três dias e três noites de barco descendo o Rio Madeira ate Manaus, com a motocicleta Tenere 600 ano 90, no porão do barco. Rodei até Boa Vista, Guyana, na Venezuela até Isla Margarita, Ilha de Trinidad do país Trinidad e Tobago. Nessa viagem cheguei a rodar cerca de 2.000 km sem freio traseiro e dando partida sempre através de chupeta com carros, pois a bomba de força da moto não funcionava. Nessa viagem levei um chão de cinema, mas a Mão de Deus mais uma vez me protegeu.
Paraguai, Chile, Bolívia, Peru, fui conhecer Assunção, San Salvador de Jujuy, Deserto de Atacama, Machu Picchu, Lago Titicaca, La Paz, Cochabamba, Santa Cruz de la Sierra e rodei 500 km no trem da morte ate Corumbá.

DIÁRIO – Quando e para onde foi a primeira viagem?
ATIE – Internacional foi ao Uruguay , principiante na época, fui no mês de agosto, nunca passei tanto frio como naquela viagem, eu e minha esposa Patrícia.

DIÁRIO – Existem muitas lendas e histórias horripilantes sobre subornos policiais nos países “hermanos”, como você lida com isso e qual a sua dica para escapar ileso de uma achacada?
ATIE – Por diversas vezes me vi envolvido em cenas dessa natureza. Percebi que a melhor saída, sem precisar perder a paciência, é não tentar falar a língua do país. Fale sua língua materna, fale o bom e belo português. Na América Latina, falar português para eles é tão difícil como se um bom chinês falasse contigo em sua língua, ou seja, você não entende nada e com isso você acaba fazendo o corrupto ficar nervoso e te liberar. Importante também é não ter muito dinheiro na carteira, apenas alguns trocados, pois se perceberem que você não tem dinheiro, o ato da tentativa de corrupção perde a razão de ser. Elejo o Paraguai como o país onde isso mais foi realçado, ali a coisa é triste.

DIÁRIO – Das suas aventuras, existe um momento em que considera a superação máxima dos desafios? Qual?
ATIE – Na América do Sul tudo é muito diferente do Brasil o que acaba sendo muito atraente, pois conhecemos e visualizamos coisas e lugares diferentes e alguns maravilhosos, como a Patagônia Argentina e Chilena, mas o desafio maior para mim, em virtude do meu peso e da minha diabetes é a Cordilheira dos Andes; Passo de Jama e altiplano Boliviano. Realmente a falta de oxigênio é sofrível, me obrigando a tomar chá de coca constantemente durante todo o dia para aliviar o mal estar.

DIÁRIO – Uma dificuldade que muitos motociclistas – iniciantes ou não – possuem é conciliar o tempo de viagem com os destinos almejados. Como lida com isso? Costuma ter uma média de km rodados por dia?
ATIE – Sempre planejei todas as viagens com muita antecedência e todas as noites quando dos meus planejamentos, fumando meu charuto, viajava na internet através do Google, percorrendo todo o trajeto que traçava, fazendo rotas e passando arquivos para meu velho GPS Garmin 450.
Nos meus planejamentos sempre faço de forma que rodo dois dias e descanso o terceiro dia, e nesse 3º dia não rodo de moto, somente de taxi, ônibus, de forma que no dia seguinte sinto falta da moto. Não tenho problemas em rodar 1.000 a 1.500 km por dia, mas geralmente rodo por volta de 800 km por dia.

DIÁRIO – Dos países já visitados, cite um que mais te encantou e qual ponto turístico considera neste destino imperdível.
ATIE – Na América, sem sombra de dúvida o melhor país para viajar de moto é a Argentina, desde Jujuy até Rio Negro tudo é maravilhoso, as rodovias, a comida, o povo em si e as paisagens; a Argentina é muito bonita e gostosa de consumir.

DIÁRIO – Qual a próxima viagem em vista? Já está sendo planejada?
ATIE – No dia 02 de janeiro de 2013, juntamente com mais três companheiros do Buena Vista Moto Clube (Rob, Lima e Geraldo), sairemos em direção à Jujuy na Argentina, Passo de Jama e San Pedro de Atacama no Chile, Lima, Cuzco e Cordilheira Branca no Peru, Copacabana no Lago Titicaca na Bolívia, San Luis de Potosí, Salar de Uyuni, Cochabamba, Santa Cruz ; voltando ao Brasil por Corumbá no Mato Grosso, agora via rodovia, pois já foi inaugurada o trajeto paralelo aos trilhos do Trem da Morte.

DIÁRIO – Quanto tempo em média leva pesquisando um roteiro?
ATIE – Geralmente, esse tempo dura o intervalo inteiro de uma viagem à outra, ou seja, assim que volto de uma viagem, já passo a sonhar como vai ser a próxima, assim, quase todos os dias a noite, aqui em casa no meu velho notebook passo a planejar, traçar a próxima.
Hoje, por exemplo já tenho a próxima viagem toda em minha cabeça onde vou rodar, em quais cidades vou dormir e em quais vou ficar um ou dois dias aproveitando o que há de ser aproveitado nelas.
São vários jantares e encontros com os parceiros de viagem conversando e planejando, de forma que realizamos a viagem com a amizade que possuímos e retornamos com essa amizade mais fortificada.
É legal tocar no assunto de amizade. Uma viagem de moto que dure 5 dias ou mais, há necessidade que realmente tudo seja discutido, de forma que todos saibam o que cada um pensa e planeja na viagem, pois sem isso, uma viagem dessa magnitude pode fazer acabar a amizade que havia quando iniciou. E sei de casos, vários, de amigos de mais de 10 anos de amizade, na viagem saírem inclusive na porrada e em todas as vezes por assuntos tão bestas que não dá para acreditar.
Ter a posse de uma motocicleta , por si só não se deve credenciar o convite para participar de uma viagem de motocicleta do tipo expedição com duração de vários dias, há necessidade fundamental de entrosamento, respeito, companheirismo e principalmente saber conviver no coletivo, pois as dificuldades que surgem em uma expedição são diversas, e associado ao cansaço físico, acaba fazendo com que esses predicados se tornem essenciais para a viagem transcorrer harmoniosamente.
A liderança deve ser natural e não imposta. A liderança deve ser exercida sem o ar de hierarquia ou subordinação, tanto ao líder quanto aos liderados. Contudo, é fundamental manter a disciplina que foi traçada para toda a viagem.

DIÁRIO – Há alguns anos atrás você realizou uma travessia das três Américas de MotorHome... como surgiu essa idéia e qual ponto considera mais marcante?
ATIE – 1º de abril de 2009, em companhia de minha esposa Patrícia, fomos para os EUA, já com a definição de comprar um motorhome, uma moto e rodar toda América.
Tivemos ajuda de dois grandes amigos nos EUA, Pavão (Ex-Solteiros Moto Clube) e do casal de amigos Marcos e Fernanda que residem em Miami para compra do motorhome. No dia seguinte que chegamos em Miami obtive a Drive Licence, pois era condição para poder comprar o veículo, uma vez que não bastava alugar, pois pretendia rodar outros países e assim o veículo tinha que estar em meu nome.
Rodamos 20 Estados Americanos desde a Flórida até à Califórnia em 6 meses.
Na carroceria trazia uma motocicleta chinesa 150 cilindradas e com ela rodava nas imediações de onde estacionava o motorhome. Rodei na Rota 66 desde Oklahoma até Los Angeles.
Saímos do EUA por Laredo em direção ao México rodando toda a costa Esmeralda. Passamos por Cuba - Havana, Cancún e as Ruínas Maias, Belize, Guatemala, El Salvador, Honduras, inclusive no dia que surgiu o problema com o Brasil, passando a se exigir visto de entrada. Nós não o possuíamos, foi um capítulo à parte para poder sair de Honduras em direção a Nicaragua, Costa Rica e Panamá. De Navio, o motorhome foi para Cartagena das Índias na Colômbia e eu e a Pathy fomos obrigados a ir de avião e aguardar a chegada do navio nos dois dias seguintes.
Rodamos toda a Colômbia e Equador, no Peru deixamos o nosso motorhome guardado por 20 dias enquanto voltamos ao Brasil para curtir a festa de aniversário de 3 anos do Buena Vista Moto Clube. Na volta a Lima, no Peru, pegamos nossa casa e continuamos rodando rumo à Bolívia, Chile, Argentina, Paraguai e Uruguai, voltando ao Brasil em 2010.
Nessa viagem, o mais gostoso foi conhecer diversas pessoas diferentes, línguas e culturas totalmente desconhecidas por nós. Além de pessoas nativas de cada país onde passamos, também conhecemos Alemães, Canadenses, Franceses, Holandeses , Ingleses e Suíços.
Essa viagem trouxe à mim e minha esposa uma experiência e uma vivência que confesso nunca ter imaginado.
Essas amizades, apesar de ter sido por pouco tempo - cerca de 5 a 10 dias de convivência - trouxe-nos uma unidade e amizade que hoje, através da internet perpetuamos, e já temos planos em visitá-los em seus países, bem como em recebê-los aqui em casa no Brasil.

DIÁRIO – Faria esse mesmo roteiro de moto?
ATIE – Esse roteiro faria outra vez de qualquer jeito, moto, bicicleta, mochila. Foi uma experiência maravilhosa e certamente no futuro faremos isso outra vez. Nos fez um bem espiritual tão grande que se tivesse a oportunidade de indicar, o faria à todos.

DIÁRIO – Você novamente está Presidente do Buena Vista Moto Clube... fale um pouco sobre o MC.
ATIE – Hoje estou presidente do Buena Vista Moto Clube com muito orgulho, pois liderar essa grande família de pessoas maravilhosas é uma atividade muito bonita. Esse grupo foi fundado em determinado momento da história de minha vida em que o sentimento de amizade reinava e trabalhamos duro para que isto perpetue. Somos homens e mulheres se tratando com respeito e carinho, desde o beijo no rosto até as palavras de carinho e respeito proferidas.
O Buena Vista encontra-se VIVO, com Respeito, Harmonia e Alegria, na sede em São Paulo, na Sede de Americana/SP e na Sede de Curitiba/PR.
Vejam nosso site www.buenavistamc.org.br, lá estão nossos endereços e locais de reunião. Será um prazer recebê-los em nosso evento.

DIÁRIO – Você possui algum site, blog ou perfil no Facebook que gostaria de divulgar aos apaixonados por moto turismo?
ATIE – Facebook, Orkut, Youtube, Twitter – busque por: atiecury
E-mail: atiecury@gmail.com ou atiecury@buenavistamc.org.br

DIÁRIO – Veja a seguir o divertido vídeo de Atie feito em Las Vegas.

fotos relacionadas
vídeos do roteiro

Oferecimento
GIVI do BRASIL

Publicidade
Viagem na Foto

Motoque-se
Dobradinha Atacama com Santiago

Baixe Grátis
Taqueopariu - O outro lado das viagens de moto