patrocinado por

9º DIA - EMBOSCADA POLICIAL NO PARAGUAI

9º dia de viagem
Cidade: Asuncion/PY | Categoria: Diário do Piloto
Postado em: 8/8/2011
Diário de Motocicleta

Hoje pela manhã saímos do Hotel Pousada Cowboy em Guaíra e fomos ao Centro na missão de tirar Xerox dos Documentos e tentar arrumar um carregador para minha Máquina Fotográfica que morreu de vez... deixei a bateria conectada ao Carregador Universal a noite toda sem saber que na verdade ele era um “descarregador”... quando liguei na tomada havia uma barrinha de energia... hoje pela manhã nem sinal de ligar a máquina deu. 

Rodei várias lojas e não consegui um carregador e estou sem máquina profissional, vou me virar com o que eu tenho até conseguir um, provavelmente em Asunción. 

Xerox tiradas, seguimos para Salto Del Guaíra pedir o “Permisso” na Migración para rodar de moto pelo Paraguay. 
Não foi pedido nada mais que RG, Documento da moto e CNH.

Sem muita simpatia por conta do encarregado, o trâmite não levou mais que 10 minutos e depois de trocar cerca de US$200 por G650.000 (Seiscentos e cinquenta Mil Guaranis) seguimos em direção a Asunción. 

Tão logo saímos de Salto, fomos parados num posto policial que pediu o “Permisso” e foram muito simpáticos dando dicas do trajeto, que não tinha erro, e bastava seguir aquela mesma “Ruta” até o fim. 

Nos alertou sobre o perigo de tráfico de drogas e que após Asunción nossa bagagem será revistada diversas vezes (?)... como não trabalho para o tráfico... tranquilo! 

O oficial fez questão de tirar fotos com a gente, tanto com as nossas máquinas como com a dele, e neste momento começou a mostrar as fotos de uma apreensão de maconha com vários traficantes mortos com tiro na cabeça... imagens lindas para um dia de motocada ao Sol. 

Fotos tiradas... adesivos presenteados... pista! 

O dia estava quente, cerca de 32C° numa pista relativamente boa, vicinal e com muito vento lateral que batia da esquerda para direita e vice versa.
Isso foi desgastando aos poucos, mas o pior ainda estava por vir. 

Emboscada policial! 

Meu amigo Atie do Buena Vista MC já havia me alertado sobre uma certa localidade no Paraguay que nos renderia problemas e, por conta disso, eu tinha montado um roteiro que seguia por Coronel Oviedo até Asunción, mas os amigos do Cowboys do Chão Negro MC e até mesmo os policiais nos orientaram a pegar a ruta direto para Asunción, mas esqueci de verificar se ela passava por EMBOSCADA, cidade a cerca de 25 km de Asunción e que tem um nome bem sugestivo. 

Entrando em perímetro urbano existe uma placa de 40 km/h, e já sabendo das histórias do local, chegamos a cerca de 20 km/h quando do nada vários apitos começaram a tocar e mandar encostar... eu nem sei de onde sairam tantos policiais da caminera... acho que ao todo eram uns 6 ou 8 oficiais, uns com caras de mau, outros muito simpáticos que começaram a nos explicar que estávamos autuados por excesso de velocidade (?). 

No local, um oficial afirmou que estávamos na velocidade certa, mas que na estrada foi registrado cerca de 80 km acima do permitido (pára!) e que um policial já tinha passado um rádio informando a infração e que já éramos esperados... na verdade estavam todos sentados que nem vimos de onde surgiram. 

Um oficial delegado ao me conferir informou que a multa deveria ser paga dentro do container que eles usam de escritório e que o valor era de G20.000,00 (R$8,08)... Show, dinheiro de pinga... e lá fui para o container sem meus documentos. 

Nisso vi o Santana abrindo a carteira e mesmo eu tendo alertado para separar pouco dinheiro e deixar mixaria à vista, ele exibiu várias e várias notas que logo subiram minha multa para G560.000,00 (R$226,13). 

Do Santana sacaram G500.000,00 e queriam o mesmo de mim e do Jeová e alegavam que a multa real era de G1.500.000,000 (Um Milhão e meio de Guaranis) – (R$605,12)... começamos a argumentar que não tínhamos e o terrorismo começou advertindo-nos que as motos seriam recolhidas e que deveríamos ir até a Prefeitura pagar Um Milhão cada um! 

Eu disse que só viajava com targeta (cartão crédito) e abri a carteira mostrando R$2,00.
O Jeová (que já foi militar) estava bem P da vida, pois dele queriam mais, pois a moto dele havia sido flagrada no radar e o oficial falava ao rádio com um comparsa - por certo do outro lado da rua - que endossava o fato... acontece que não existe radar na pista, além disso alegavam que o Jeová transitava com o farol apagado... quem tem uma Suzuki sabe que o farol é automático.

Resumo da ópera...eu e o Jeová morremos com G200.000,00 cada um e o Santana com mais G500.000,00 pela besteira de abrir a carteira recheada de Dlares, Guaranis e Reais. 

Foi feito um recibo de G900.000,00 em meu nome (boa) e amargamos o prejuízo de R$363,42... grana que usaríamos para fazer turismo durante dois dias em Asunción que, mesmo depois de três Stella Artois a vontade de ficar aqui era bem pequena... eu sei que não podemos julgar uma nação por conta de 6 ou 8 indivíduos que prefiro que vocês os qualifiquem, mas como fazer turismo num país onde a polícia federal (equivalente a nossa) age desta forma? 

Quando os amigos vierem para Asunción, principalmente vindos de Salto del Guaira, não passem por EMBOSCADA, pois o nome da cidade já diz tudo. 

Vamos ver se ficamos ou vamos embora!

fotos relacionadas
vídeos do roteiro